Babies & Kids Casa & Decor 15 anos
Topo

Navegue como ou

O polêmico jejum Intermitente: pode ou não pode fazer?

Resolvi escrever sobre esse assunto para explicar para você o que é esse tal de jejum intermitente, mas não com intuito de incentivar você a fazer! Em primeiro lugar é importante dizer que existem várias pesquisas científicas sobre o tema, mas ainda não a longo prazo, ou seja, os estudos são mais recentes e não trazem informações do que acontece com nosso corpo depois de anos usando essa estratégia.

As primeiras pesquisas observaram indivíduos religiosos que praticam o Ramadan, mês em que os muçulmanos permanecem em jejum por 12 horas todos os dias. Foram observados alguns benefícios nestas populações, sobre os quais falaremos a seguir.

Mas, afinal, o que é o jejum intermitente? É uma estratégia que reduz ou exclui a alimentação por um período de tempo que pode variar entre 8, 12, 16 ou 18 horas, podendo ser aplicada entre uma a três vezes por semana. E jamais todos os dias!!

Eu mencionei benefícios descobertos e, entre eles, está a expressão de alguns genes que auxiliam na perda de peso e capacidade anti-oxidante e que também ajudam na perda de peso pela produção de corpos cetônicos a partir da gordura corporal, substâncias que fornecem energia para nosso cérebro (sem ser da glicose).

É indicado para pessoas…

– com sobrepeso e obesidade;
– com resistência à insulina e alguns casos de diabetes;
– com polimorfismos genéticos relacionados à obesidade;
– que querem melhorar a performance cerebral;
– que buscam longevidade.

Não é indicado para pessoas…

– com compulsão alimentar;
ansiosas;
– que tomam medicamentos para diabetes;
– que têm colesterol alto por alteração genética.

As evidências sugerem que ficar alguns períodos em jejum é algo benéfico para o corpo, mas vale lembrar que cada caso deve ser olhado individualmente. Não é só porque mostrou resultados positivos em alguns estudos, que deva ser aplicado por todo mundo.

É essencial descobrir se o jejum se aplica ao seu caso. Se sim, o ideal é fazer uma adaptação e um preparo para o jejum. De nada adianta parar de comer repentinamente para compensar tudo na próxima refeição. Caso esse não seja o melhor método para você, há outras formas interessantes de perder peso.

Estou sempre em busca de novos estudos e pesquisas. Se eu tiver mais novidades, informo vocês!

Até a próxima,

Karina

Drª Karina Al Assal é nutricionista graduada pelo Centro Universitário São Camilo, especialista em nutrição clínica pelo Hospital Sírio Libanês, especialista em nutrição clínica funcional pelo Instituto Valéria Paschoal e mestranda em nutrição e cirurgia metabólica do aparelho digestivo pela Faculdade de Medicina de São Paulo.

Veja também: Ganhar peso sem ganhar barriga? É possível! 

E mais: Alimentos que contribuem para um bronzeado perfeito

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *