A história de Vitória e Pedro começou por conta de um hobby em comum: o hipismo. Ela mineira e ele carioca, se conheceram na Hípica do Rio de Janeiro e assim começou o namoro, que durou um ano e meio até o dia em que Pedro decidiu surpreender: “ele adora cozinhar, então preparou um jantar em casa e fez o pedido de casamento!”

Vitória passou a infância na fazenda da família, na cidade de Lagoa Santa, em Minas Gerais, e lá seria o cenário perfeito para o casamento. “Sempre quis casar de dia, ao ar livre, na fazenda da minha família, que tem uma arquitetura colonial e romântica. Além de ter muita história, cresci lá!” Com a decisão, os noivos deram início aos preparativos que duraram seis meses.

Vitória é estudante de medicina, e tem a agenda muito apertada, então para conseguir se organizar, contou com ajuda de assessoria e da família. “Não abria mão dos detalhes, mas deleguei muitas coisas para o cerimonial. Minha madrasta e a minha irmã também ajudaram muito, e o empenho do Pedro também foi essencial!”

O casamento para 500 convidados foi realizado no jardim da fazenda e teve início às 13h. O final da cerimônia reservou uma surpresa emocionante: “com a ajuda das daminhas e pajens, plantamos uma árvore para simbolizar a união.”

Os noivos queriam explorar ao máximo a arquitetura colonial da fazenda e, por isso, investiram em uma decoração que entrasse na paleta de cores do local. “O foco era a fazenda, então fizemos tudo em torno dela. Escolhemos tons que combinavam com o azul e branco, cor da casa,  e investimos em móveis antigos e românticos, para combinar com o interior da casa que fazia parte da festa e ficou aberta aos convidados.” Nas mesas, mais um toque muito especial: um jogo de louças da família com a estampa da fazenda.

Margaridas compuseram os arranjos na entrada da cerimônia e o exuberante arco do altar. As mesmas flores decoraram as mesas da festa, que também aconteceu no jardim. A mesa de doces e a charutaria ficaram dentro da casa, que também trouxe o clima de casa para o casamento, proporcionando um bom espaço de convivência e conversa.

O buffet funcionou com ilhas gastronômicas onde os pratos era todos finalizados ao vivo, sob gazebos no jardim, em volta da casa. No destaque, Entrecot de Wagyu com Aligot e Raclete e Fois Gras. A típica cozinha mineira marcou presença no lanchinho da madrugada – Feijão Tropeiro com ovo estalado e Couve – e o cafezinho servido no fogão a lenha. O bar ficou sob responsabilidade do noivo, e além da variedade e qualidade dos drinks, os convidados ainda puderam provar a cachaça produzida na própria fazenda!

Vitória encontrou seu vestido de noivas em uma loja de Miami. O modelo acinturado era rendado e tinha o corpete ajustado, mas o destaque era a saia bem volumosa, com grandes camadas e babados. Sobre a beleza, a noiva não tinha dúvidas: “penteado bem preso para ficar intacta até o final!” Para completar o visual, Vitória ainda usou a mantilha da mãe e joias da família da madrasta.

As lentes da milmeios foram as responsáveis por captar e registrar as memórias de um dia tão especial em um vídeo super completo, com detalhes do começo ao fim do grande dia de Vitória e Pedro. Assista abaixo:

. . . . . . . . . .

Já segue a gente no InstagramPinterest e Facebook?

Ficha Técnica

Fornecedores do Guia de Fornecedores CZ

Vídeo: milmeios

DEMAIS FORNECEDORES

Assessoria: Acontece Cerimonial | Decoração e flores: Verde que te quero verde | Vestido de Noiva: Carolina Herrera | Cabelo e maquiagem: Annamelia Valle