.
Sei que as “regras” facilitam a vida… Bom mesmo era antigamente, quando os trajes eram bem definidos de acordo com os tipos de ocasiões, locais, horários! Mas, hoje, com essa liberdade fashion nunca antes vista, as “regras” tornaram-se mais flexíveis…
.
E há uma “regra”, muito repetida por aí, que ‘proibe’ o brilho durante o dia. Para mim, ela virou praticamente um mito.
.
Porque há brilhos e brilhos. E o importante é saber qual é mais adequado para a noite e qual pode ser usado de dia também. (isso vale tanto para as noivas quanto para as madrinhas)
.
.
Brilho “noturno”: pesado, muito cristal Swarovski, em vestidos ‘de gala’ mesmo.
.
Exemplo: vestidos Elie Saab
.

.

.
Brilho “diurno”: bordados mais leves, mais espaçados, que não ‘ofuscam’. Usa-se linha, (micro-)paetês, miçanguinhas… resultando em vestidos mais leves (como um todo).
.
Exemplo: minha eterna it-bride favorita, Liberty Ross, com vestido e véu bordados, by John Galliano

.

.

E Ginny, de um dos casamentos mais lindos do ano, cujo vestido e os das madrinhas eram vintage (anos 20) e inteiramente bordados
.
.
Fotos: Elie Saab @ Style.com, Liberty Ross @ Vogue UK, Ginny fotografada por Josh Golemann..