Babies & Kids Casa & Decor 15 anos
Topo

Navegue como ou

Diário de Noiva: destination wedding

Antes de tudo, sei que algumas pessoas estão curiosas para ver as fotos do meu casamento. Eu também estou! Não tenho nenhum “material” além das fotos de iPhones e de uma câmera pequena que a minha mãe levou… aguardo ansiosamente as fotos profissionais! E como estou em plena fase de produção da revista, não consegui parar para escrever o meu Diário com a freqüência que gostaria… ainda tenho taaaanta coisa para contar…!  Hoje, pensei em falar sobre o meu destination wedding.

POR QUE UM DESTINATION WEDDING?

A primeira pergunta que me faziam quando contava que iria me casar na Itália era: “o seu noivo é italiano?” Não, ele não é italiano, não tem família italiana, e nem eu. Decidimos nos casar fora por outros motivos…

Logo após o noivado, percebemos a saia justa na qual nos encontrávamos! No dia seguinte aos posts, recebemos telefonemas: “Mas por que você não me chamou para fazer o seu noivado?“. Sentimos que a pressão para o casamento seria grande! Tendo um bom relacionamento com tantos profissionais queridos, seria uma tortura para nós escolher apenas 1 de cada área para realizar o nosso casamento! Pior ainda seria saber que alguns ficariam chateados por não terem sido escolhidos…! Além disso, não queria correr o risco de que o nosso casamento fosse “mercantilizado”, não queria que virasse um “show”, não queria perder o caráter e o significado íntimo e familiar que a comemoração tem para nós.

Por tudo isso, decidimos “fugir” de toda a pressão.

POR QUE A ITÁLIA?

Eu estava na enorme aflição após o noivado, sem saber o que fazer… quando recebemos um convite muito especial para um casamento na Itália. Foi aí que pensei que, talvez, essa fosse a solução perfeita para nós.

Então, comecei uma longa pesquisa de locais para casar na Inglaterra, na França e na Itália. O meu coração bate muito forte pelo interior da Inglaterra (blame it on Jane Austen!)… já o casamento da Emilia Wickstead, que tirou o meu sono e a minha paz por meses, aconteceu na Itália. Fiquei bem dividida.

Quando finalmente fomos ao casamento em Firenze, todas as dúvidas ficaram para trás! Foi um clima tão gostoso!! Vimos que dava certo casar lá, que o clima entre os amigos era uma delícia… Estava decidido:  faríamos um casamento intimista (como eu sempre sonhei), durante o dia em um lindo jardim (como eu sempre sonhei), com os fornecedores locais da Itália! Todo mundo ama a Itália (até quem ainda não conhece), é um país super acolhedor, a comida é maravilhosa, as cidades são incríveis… destino perfeito!

PRÓS DO DESTINATION WEDDING

Sem dúvida nenhuma, o maior “pró” de um destination wedding é o fato de a comemoração durar mais tempo!

Nós chegamos em Siena na terça-feira, o casamento foi no domingo (escolhemos o domingo para facilitar a ida de quem precisava tirar férias no trabalho). Aos poucos, os convidados foram chegando na cidade e tomaram conta de Siena. Como Siena é uma cidade pequena, a cada 5 passos, encontrava um convidado! De dia, passeios; à noite, jantares… foi como uma “excursão” de amigos! E esse clima de férias se reflete no ânimo de todo mundo!

Na noite anterior ao casamento, convidamos todos para um jantar na Piazza del Campo, ao ar livre, com vista para a Torre del Mangia… o tempo deu uma trégua e esteve agradável a noite toda, vimos o pôr do sol e depois a Torre ficou iluminada constrastando com o azul cobalto do céu. Foi lindo, divertido, uma delícia!! A nossa maior tristeza foi ter tido de ir embora relativamente cedo (para acordar bem no dia seguinte)! No dia seguinte ao casamento, tínhamos planejado um passeio, mas não conseguimos acompanhar o pessoal… acho que os noivos foram desculpados… rs

No nosso caso, as viagens que fizemos à Itália durante os preparativos também foram deliciosas e inesquecíveis! Todos os lugares fora do circuito turístico tradicional que conhecemos, as villas e castelos que visitamos, as histórias que ouvimos e aprendemos… foi muito enriquecedor!! Para nós, o destination wedding começou muitos meses antes!

Outro ponto que nos deixou muito felizes foi saber que muitos dos nossos convidados fizeram viagens maravilhosas antes e depois do nosso casamento, que eles também tiveram experiências inesquecíveis em seus roteiros!

CONTRAS DO DESTINATION WEDDING

Sem dúvida nenhuma, o maior contra de um destination wedding é que nem todo mundo que você gostaria que estivesse com você nesse momento pode ir. As faltas são muito sentidas! Mas temos que compreender, já que a escolha de se casar longe é nossa!

Outro contra, pelo menos no meu caso, foi em relação à organização. Brinco que evitamos uma dor de cabeça aqui para ganharmos enxaquecas lá! rs Porque os preparativos não foram apenas flores…! No fim, tudo deu certo, ficamos realizados… final feliz! Mas o durante foi muito desgastante – muito mais do que eu poderia imaginar!

Já morei fora algumas vezes, na França e na Alemanha, sempre lidei muito bem com as diferenças culturais, não ligo para o tratamento distante nem para as “grosserias” de estrangeiros, não tinha a intenção de fazer um “casamento brasileiro” na Itália… e mesmo assim nunca pensei que seria tão complicado como foi.

O mercado de casamentos no Brasil é muuuuito desenvolvido e estamos muuuuuito mal acostumados por aqui!! Em todos os sentidos!! Na qualidade da prestação dos serviços, no profissionalismo, aqui desenham plantas, customizam, flexibilizam, acham soluções. Digamos que a maneira de trabalho dos fornecedores na Itália é, quase sempre, o oposto. Só fui descobrindo as dificuldades ao longo dos preparativos, porque, à primeira vista, tudo é lindo, tudo é possível… mas não é bem assim…

Além disso, existe uma limitação de opções de móveis e materiais que é frustrante, beirando o irritante. Enquanto no Brasil é possível escolher entre um bar de espelho, de tecido, de madeira, de azulejos hidráulicos, capitoné, plotado, de musgo, de caixote, do que você quiser inventar; lá na Itália, tínhamos 2 opções: uma longa mesa retangular forrada com toalha ou um bar de LED que eles acham o auge da modernidade. Isso é tudo! Não adianta ter ideias, referências…  são 2 opções de bar e ponto. Lá não precisa de muita coisa, porque os cenários são lindos? Ok, mas também não é para tanto…! rs Não é possível fazer um lounge como vemos aqui, com móveis lindos, com sofás, poufs, poltronas cada um de um jeito, combinando o descombinado. Lá, temos que alugar os conjuntos completos: sofá + mesa + poltronas, tudo do mesmo material. Segundo a minha mãe, fica parecendo showroom de fábrica de móvel! rs

Houve momentos em que pensei em desistir, houve momentos em que pensei em cancelar tudo de lá e levar tudo daqui… o que me tirou do sério durante os preparativos realmente não foi a questão emocional (tive zero ansiedade) e, sim, a questão organizacional. No fim, acabamos tendo mesmo que levar alguns profissionais do Brasil (indo contra a nossa ideia e propósito iniciais), porque percebemos que certas coisas seriam desastrosas com os profissionais de lá…

De todos os profissionais, o que mais senti falta foi de uma boa assessora brasileira! Teria feito toda a diferença para mim!! Tanto antes (para entender o nosso lado e saber como intermediar as conversas entre nós e os profissionais italianos a nosso favor), quanto – ou principalmente – no dia! Mas isso ainda será tópico de um post completo!

É claro que cada caso é um caso…  o meu foi mais traumático porque tentei fazer tudo por lá e talvez não tenha tido muita sorte em algumas escolhas ( depois eu vou contar em quais exatamente e por que ). Mas se hoje alguém me pedisse dicas para um destination wedding, a primeira seria: leve todos os profissionais brasileiros que puder! rs

casamento-toscana

Mesmo com todos os “contras”, não me arrependo! Como já contei antes, nosso casamento foi um dia muito especial para nós, absolutamente inesquecível! Mas acho importante contar os dois lados da história… até para que as pessoas que pensam em se casar fora possam se organizar melhor! Ninguém precisa aprender com os próprios erros – eu empresto  os meus! rs 😉

62 Comentários

  1. Natalia 18 de julho de 2013

    “Ninguém precisa aprender com os próprios erros – eu empresto os meus”….gente, que pessoa humana, solidária, perfeita!

    • Constance Zahn 18 de julho de 2013

      Natalia, não sei se mereço tantos elogios, mas, sem dúvida nenhuma, a minha intenção é ajudar quem está organizando o casamento a fazer da melhor maneira possível! E como eu fui 100% envolvida na organização, passei por poucas e boas! rs Bjss

  2. Manu 18 de julho de 2013

    Natália, vc disse exatamente o que eu ia falar. Ao ler o post, tinha mtas coisas a perguntar, comentar… mas a frase final me chamou mto mais atenção… Constance é ótima!

  3. Michelle 18 de julho de 2013

    Constance, amei seu post! Seu site está me ajudando bastante , a fazer minhas escolhas, a ter ideias, enfim, saiba que você faz um grande trabalho! Ser noiva realmente é uma delícia, mas não é tão fácil quanto parece! Eu vou casar em Fernando de Noronha, sou carioca e meu noivo curitibano. Resolvemos casar lá porque eu amo aquela ilha, já fui várias vezes e, também, por um motivo semelhante ao seu: evitar a pressão! Muitas pessoas me perguntam porque escolhi casar tão longe (ir a Noronha não é uma viagem barata) e, sinceramente, acho que foi algo meio místico, era para ser lá, desde que fomos juntos, e pronto! Não tem muito o que explicar! Tb enconto dificuldades com flores, decoração, mas tenho uma pessoa que está me ajudando nisso, uma cerimonialista que fica entre Noronha e Recife, sem contar os próprios moradores da ilha, que me ajudam com dicas de barco para levar o padrinhos, dj, etc. Espero que fique lindo e eu possa te enviar um pouquinho do que será nossa festa! Beijos

    • Constance Zahn 18 de julho de 2013

      Michelle, fico feliz de saber que você está contando com ajuda!! É fundamental para não enlouquecer!!! rsrs

      Não se preocupe demais… Fernando de Noronha tem mesmo uma magia!! Ainda que não consiga levar tudo para lá, será demais!!!! 😉

      Bjss

  4. Ana Laura 18 de julho de 2013

    Olá Constance,
    Muitas em seu lugar apenas teriam dito que tudo foi perfeito, lindo, maravilhoso e tal…
    Obrigada por ser tão sincera conosco e por mostrar que em nenhum casamento tudo são flores! Acredito que as dificuldades existem na organização de todo tipo de festa, mas você mostrou bem as delicias e os pezares que um destination wedding pode trazer!

    bjuss

  5. Kaká 18 de julho de 2013

    Nossa, Constance, que post instrutivo! Acredito que há muitas noivas hoje planejando um destination wedding (eu incluída nessa multidão) e as dúvidas são muitas. Por diversas vezes já me perguntei (e fui muito questionada) se valeria mesmo à pena tanta dor de cabeça. Claro que fazer um casamento em uma recepção próxima de casa e conhecida pelos fornecedores facilita muito a vida, mas esse não é o sonho de todo mundo. Como você mesma falou, o destination wedding permite que façamos uma festa intimista e pessoal, até mesmo porque quem encara a distância vai porque realmente quer fazer parte desse momento.
    Moro fora do país, mas não abro mão de casar no Brasil. Acontece que eu sempre quis um casamento pequeno, de tarde, na praia. Por isso estou planejando casar a 150km da minha cidade natal, o que certamente dificulta a ida dos convidados brasileiros. Mesmo com todas as críticas, estou certa de que é isso que queremos enquanto casal, e mal posso esperar para que o nosso dia chegue.

    Estou ansiosa pelos próximos posts do diário de noiva!

  6. Olivia FG 18 de julho de 2013

    adorei vc ter dividido essa experiencia conosco. mt interessante.

  7. Fernanda 18 de julho de 2013

    Oi Constance,
    me casei em Paris em maio (noivo francês), compartilho do stress que você comentou. Depois de meses organizando, tive que me adaptar em váriassssss coisas. Inclusive à pior primavera dos últimos 40 anos! Mesmo tendo ido à França 4 vezes antes do casamento, tive que ser criativa em várias situações. Senti muita falta de uma assessoria e de uma decoradora brasileira. Fotógrafo eu levei do Brasil, isso era algo que eu não abria mão.

    Ficou feio? De jeito nenhum!Ficou lindo e inesquecível, mas ficou diferente!

    Prós: apenas os amigos mais próximos e família foram, éramos 65 pessoas, pude conversar com eles calmamente; o casamento começou às 11 da amnhã e acabou as 5hs, os momentos pré e pós-festa foram deliciosos,etc.

    Contra: lidar por telefone, email, sinal de fumaça com fornecedores à distância é uma tarefa árdua. A gente não se entendia..eles me achavam controladora ao extremo por querer saber cada pequeno detalhe. E em várias situações tive que escutar: “nós fazemos isso há anos! Vai dar tudo certo.”. Minha língua coçava para responder: “mas nunca fez o MEU casamento”.

    No fim sobrevivemos todos e foi lindo. Mas tive gastrite no caminho. hehe

  8. Ana 18 de julho de 2013

    Nossa, tô MUITO feliz com seu post. Desde que vc casou estou acompanhando tudo com muita atenção porque eu tb vou me casar na italia (meu noivo é italiano e moramos aqui). Tô muito confusa com muita coisa… Na verdade não poderei fazer como vc fez, pq me casarei no Brasil tb, então acredito que os custos serão exorbitantes se trouxer pra cá os fornecedores daqui. Mas tô pirando com várias coisas! As villas são mto intolerantes com o cardápio, as opcões de decoração são muito limitadas, o dia da noiva é pavoroso (eu ODEIO os penteados e maquiagens de noiva daqui!!), dentre tantos e tantos outtos problemas. Posso te pedir um favor? Se puder, escreve um post com sugestões dos fornecedores que vc escolheu? E, se não for pedir demais, dos lugares que vc visitou antes de se decidir pelo
    Castelo… Ainda não escolhi! Te agradeço muito!! Beijos

  9. ana 18 de julho de 2013

    morei 4 anos na italia e realmente o mercado de noivas la eh MUITO precario comparando com o brasileiro. Uma vez fui em uma feira de noivas em milao que parecia uma piada : lembrancinhas cafonas , pouquissimas opcoes para decoracao, fiquei assustada ate. Fui em varios casamentos la ao longo dos anos e nenhum me chamou atencao pelas flores, decor etc. Uma amiga brasileira ia casar na italia com um italiano e quando estava planejando o casamento queria ver opcoes e eles mostravam uma , duas , tres opcoes no maximo e diziam que era soh aquilo , nao entendiam o pq dela querer outra opcao. A familia do novo nao entendia e dizia que ela queria “inventar moda. Os italianos sao muito inflexiveis! Eles dizem nao da e pronto!! Nao tentam melhorar um arranjo, criar algo diferente.

    obs: estou ansiosa por ver teu casorio! pelo que vi estava lindissimo!!! amei seu convite!

  10. Marcela 18 de julho de 2013

    Moro com meu namorado e não estou noiva ainda, mas quando conversamos sobre casar a ideia de um Destination Wedding fala muito alto! Nos conhecemos enquanto morávamos na França.. e temos plena certeza de que vamos morar fora novamente. Temos amigos em uns 20 países e eu adoraria passar vários dias comemorando junto com as pessoas mais importantes para nós.
    Sempre fico com receio da crítica dos convidados… já consigo imaginar algumas pessoas reclamando dos gastos e dizendo que o casamento foi feito para que ninguém fosse. Como você lidou com isso, Constance? Você chegou a pagar alguma coisa pros convidados (hospedagem, transporte, etc)?
    Obrigada e parabéns pelo seu casamento!

  11. Lyanna 18 de julho de 2013

    Constance confesso que estava curiosa para saber a razão da escolha do destination wedding, achei fofa e linda a explicação porque revela a pessoa séria, ética e íntegra que você é. Realmente o seu casamento poderia ser totalmente “mercantilizado” e sem entrar no mérito, nem poleminar, sabemos que acontece por aí casamentos fabulosos sem gastar tanto… Enfim.

    Sobre o mercado de casamento ser bastante evoluído, acho que isso acontece em cidades grandes como Rio, São Paulo ou até mesmo aqui pertinho como em Recife.

    Mas aqui na minha cidade (Natal) os profissionais ainda precisam evoluir muito. Vou contar apenas 2 coisas que aconteceram comigo:1-um buffet que estava pensando em fechar o contrato, se recusou a fazer degustação do cardápio e foi bastante grosseiro na resposta (claro q não fechei esse contrato); 2- a orquestra que contratei (infelizmente) quase estragou a festa, porque tocaram por muuuito tempo, um tipo de música que eu e o noivo pedimos para não tocar.

    Fora uma série de outros probleminhas que fui contornando às custas de unhas roídas e queda de cabelo e muitas vezes eu pensava em trazer profissionais de São Paulo ou de Recife para fazer meu casamento.

    No final deu tudo certo sim, mas eu acho que todas as noivas sofrem bastante durante os preparativos.

  12. Fernanda Tochetto 18 de julho de 2013

    Você é uma querida Constance! Confesso que estou super angustiada por ver suas fotos de casamento.. conto os dias.. rs
    Estive na Toscana ha 15 dias, minha primeira vez na Italia, era meu sonho conhecer essa região, acho que é algo de outra vida, sei lá, rs, mas me senti em casa naquele paraíso, e o melhor, fui pedida em casamento lá, sentados num banco em Monticchiello… perfeito!
    Não tem explicação a tranquilidade, as vistas, as comidas, as pessoas… parece que nada se rendeu as tecnologias e ao mundo de fora…
    Por mais desgastante que os preparativos tenham sido, tenho certeza que a magia do lugar e tudo de bom que deixou no seu casamento foi compensatório…
    Super beijo e obrigada por me fazer me sentir lá de novo…

  13. Ana Cristina Paiva 18 de julho de 2013

    Constance,

    Estou adorando o Diário de Noiva! Em meio a tantos casamentos fantásticos e “perfeitos” postados em blogs nacionais e internacionais, os seus relatos são “material de estudo” para noivas e profissionais da área de casamentos. Parabéns pela coragem e gentileza, poucas conseguem transformar as imperfeições em beleza. Super curiosa em relação ao bolo, teremos um post sobre ele?
    Abraços,
    Ana.

  14. Fernanda 18 de julho de 2013

    Constance,

    O importante é perceber que nem tudo é fácil e que acontecerá do jeitinho que sonhamos, a diferença é levar tudo com bom humor e não se apegar nos “erros”.

    Adoro seu site, é o melhor do seguimento!

    Esse post é muito sincero e confortante!!!

    Obrigada por dividir e emprestar seuserros!!!

    Beijos…

  15. Antônia Manhani 18 de julho de 2013

    Olá Constance. Obrigada pelas dicas e por compartilhar conosco sua aflições e soluções.
    Nota-se a humildade e caráter que você possui. Sou assessora de casamentos e eventos em geral e sei muito bem o que aflige todas as noivinhas nessa fase encantadora e trabalhosa.

  16. Antônia Manhani 18 de julho de 2013

    Foi um prazer sua contribuição e tenho certeza que o melhor ficará sempre em sua lembrança.
    Bjs

  17. Giovanna 18 de julho de 2013

    Constance, mais uma vez vc mostra seu profissionalismo e consideração com suas leitoras! Certamente, outras pessoas diriam apenas que td foi “perfeito”, mas vc foi verdadeira em dizer que sim, foi perfeito (o momento, os amigos…) mas como toodo casamento, sempre tem algo que não 100% como planejamos. Obrigada por dividir td com a gente!! Vai ajudar muito não só quem pretende casar fora do país!

  18. Van 18 de julho de 2013

    Me casei no Hawaii e foi incrível! Mas quando voltamos resolvermos casar aqui, faz muita falta as pessoas que amamos por perto nesse momento!

  19. Fabiana 18 de julho de 2013

    Constance, acompanho seu blog há algum tempo (e adoro), mas nunca havia comentado…
    O seu bom gosto e capacidade sempre nos foram indiscutíveis, mas fiquei feliz com a sua generosidade e simplicidade, ainda mais nos dias de hoje. Imaginava que no seu caso seria 0% de dor de cabeça, mas fico feliz em saber que tudo deu certo nesse dia tão especial. Parabéns!

  20. Janaina 18 de julho de 2013

    Casei em setembro de 2012 com apenas 120 convidados na praia de Itapema-SC. De todos os blogs que li e ainda leio sobre casamento o seu sempre é o mais inspirador, porque percebo que isso não é negócio pra vc. É sentimento. Admiro a forma como vc escreve, a atenção, o jeito de falar da sua mãe, do seu marido. Agora preciso confessar – quando li sobre seu noivado, pensei na hora: “Vai ser o casamento mais lindo dos últimos anos, porque além de bom gosto ela tem muitos contatos! E o pessoal vai se “estapear” pra trabalhar nele, porque é um baita portfólio!”

    E vc vem e escreve isso: “não queria correr o risco de que o nosso casamento fosse “mercantilizado”, não queria que virasse um “show”, não queria perder o caráter e o significado íntimo e familiar que a comemoração tem para nós.”

    Parabéns, viu?! Fiquei emocionada! Parabéns por não publicar apenas casamentos de fornecedores que pagam para ter um espaço no seu blog (como outras blogueiras), parabéns por ser tão sensível, por fazer questão de nos ajudar, por treinar nossos olhos para prestar atenção nos detalhes, enfim…

    Desejo que você seja muito feliz, assim como eu sou… nesses meus 10 meses de casamento! :):)

  21. Amanda 18 de julho de 2013

    Nossa Constance! Não imaginava o quanto foi difícil realizar um casamento fora! Estava tudo tão lindo – acompanhei pelo instagram da Bia que me deu vontade de fazer o mesmo! Realmente, viajar para um casamento é clima de festa o tempo todo da viagem – acabei de fazer isso para os casamentos de duas amigas e foi tão legal reencontrar tantas pessoas queridas! Lógico que ao retornar para casa, fiquei dois dias de molho! Parabéns pela confissão sincera do desgaste que foi, mas saiba que valeu a pena! Bjks

  22. Emilia 18 de julho de 2013

    Constance gostaria de te parabenizar pelo casamento e te desejar muitas felicidades!

    Pelas poucas fotos que vi, o seu casamento inspirador, de muito bom gosto e você uma noiva maravilhosa =) (Ameiiii seu vestido, o cabelo solto como eu quero usar, bouquet, as flores no cabelo)!

    Estou muitooo ansiosa para ver as fotos oficiais, entro no seu blog umas 5 x por dia pra ver se você postou…

    Te conheci em um evento na Domi em BH e desde que soube do seu noivado fiquei muito feliz por você, como se fosse uma amiga bem próxima (rs).

    Vou me casar no próximo dia 14 de setembro, será um casamento ao ar livre, às 16 hs e estou ansiosa pra ver alguns detalhes do seu casamento que ainda possam me inspirar como bolo que ainda não defini, bouquet, lembranças…

    Enfim vou entrando por aqui super ansiosa pra ver tudooo!

    Mais uma vez desejo felicidades para você e o Tiago!
    bjs

  23. Maria 18 de julho de 2013

    Que delicia de informaçoes e sentimentos compartilhados!! Assim como outras noivinhas, tambem estou planejando meu casamento e sera na Italia (minha familia é italiana). Encontro muitas dificuldades sendo a primeira delas a resistencia das pessoas em acreditar no destination wedding. Talvez por nao fazer parte da nossa cultura no Brasil, ainda haja muita descrença em viabilizar e realizar um casamento assim..
    E estou tambem na fase de pesquisa de locais e fornecedores. Portanto, assim como outras gurias mencionaram acima, aguardarei ansiosa pelo post com mais detalhes e se possivel, a lista de fornecedores com quem voce trabalhou.
    Pelas poucas fotos, seu casamento parece mesmo ter sido inesquecivel, um sonho!
    Bjs

  24. Vivian 18 de julho de 2013

    Simplesmente adorei o post! Você escreveu tudo o que eu gostaria mas não consegui!!! Meu casamento também será um destination wedding, mas em Ilhabela, SP, e pelos mesmos motivos seus. A grosso modo, quero comigo pessoas especiais e que fizeram e fazem parte da nossa história… Me incomoda muito “convidados de obrigação”. Espero que dê tudo certo!

  25. Jeni 18 de julho de 2013

    Realmente “emprestar” seus erros é de uma generosidade sem tamanho, porque sabemos quanta pressão existe para que tudo seja perfeito e sem erros. Confessar que algumas coisas saem erradas, que outras não foram como previstas, que no meio de toda o encantamento da história existe estresse (e muito! rsrs) é pra poucas! Admiro vc mais ainda! Bjs

  26. Casando na Italia 18 de julho de 2013

    Oi Constance, primeiro lugar parabéns pelo casamento. Pelo pouco que vimos foi tudo muito charmoso e vimos o seu carinho nos detalhes.
    Adorei a forma como você relatou a experiência com o planejamento. É exatamente o que acontece. Trabalhar com outra cultura em relação a festas de casamento é mais complicado do que muitos imaginam. Voce tem que conciliar dois costumes que por incrivel que pareça sao extremamente diferentes.
    Nesse momento percebe-se como é grande a importância da assessoria, como você citou. Resolvemos nos especializar somente em cerimonias na Italia justamente para ter esse contato direto e continuo, seja com os fornecedores e demais profissionais, que com o casal. Assim, podemos intermediar os preparativos da forma mais eficiente possível, fazendo com que os noivos tenham somente as lembranças da magia que a ocasião proporciona.
    Sei que a cerimonia do seu casamento ja foi realizada, mas estamos a disposição caso você necessite de qualquer auxilio por aqui.

    Arrivederci,

    Carla De Sordi – Casando na Italia

  27. Carla Cordone 18 de julho de 2013

    Oi Constance, passamos pelo mesmo drama!!! Me caso na Italia agora em setembro, e nos últimos meses fui pra lá 4x na tentativa de não deixar meu casamento ser um desastre!!! Sou ítalobrasileira e domino o idioma, mas a diferença cultural foi monstra!! Pra eles não existe festa de casamento, é apenas um almoço em restaurante!!! Tudo oq pude fazer no Brasil eu fiz, mas 80% das coisas são de lá mesmo! Pra vc ter idéia da minha dificuldade, comprei até o tapete da igreja, para ser como eu queria!!! Mas mesmo com todo medo, angustia e duvidas não trocaria me casar lá só para mais um showbussines aqui no Brasil! A igreja onde vou me casar, tem os restos mortais de um dos apóstolos de Jesus! Isso supera qq falta de cerimonialista ou móvel bonito!!!!! Beijo

  28. Natalia 18 de julho de 2013

    Muito legal esse post, espero ansiosamente pelos próximos rsss e a revista sai quando Constance? Parabéns!

  29. Beatriz 19 de julho de 2013

    Constance, voce me deixou sem palavras!

    Tive a oportunidade de te conhecer em um evento da Blue Gardenia e olha, voce consegue escrever exatamente da maneira doce, leve que voce pessoalmente passa!

    Um beijo, adoro seus diarios e continuo acompanhando aqui, mesmo depois de casada!

  30. Renata 19 de julho de 2013

    Oi Constance,

    Eu tambem me casei na Franca em maio deste ano, e a minha situacao eh muito parecida com a sua… Eu me casei no Chateau d’Esclimont (voce ate publicou algumas fotos do casamento) e escolhi a data do feirado de Corpus Christi para que os mais proximos pudessem ir…. eramos 85 pessoas, fiquei muito feliz com a presenca de todos…. realmente a semana do casamento eh especial, muita alegria e momentos inesqueciveis!!! No meu caso, o noivo eh Frances e eu sou apaixonada por Paris, onde estudei, morei e ele me pediu em casamento. Eu nem queria festa de casamento (pois ja moramos juntos ha 5 anos) preferia um jantar simples so para os familiares, mas a familia dele queria festa… entao disse a minha mae para irmos todos (a familia) para Paris e na noite anterior a festa da familia do meu noivo fariamos um jantar e meu pai faria um brinde… Claro que a miha mae se empolgou e o que serio inicialmente uma cerimonia para 30 pessoas acabou em dois dias de festa de 85 brasileiros se deslocando para a Europa!

    A organização foi muito difícil, mesmo falando bem o Frances e tendo morado la!
    Pra começar, os franceses nao fazem 2 ou 3 opcoes de pratos como aqui no Brasil.. então você tem que escolher 1 prato ou 2 mas falar exatamente o numero de pessoas que vai comer cada prato…. então se vc disse que 50 pessoas vao comer peixe mas tiver 1 a mais que queira essa pesosa vai ter que comer carne! Detalhe… meu marido eh mulçumano e a família dele teria que comer peixe! Ou seja… tive que pegar um menu mais caro que fosse de degustação, assim poderia ter o fois gras de entrada (para mim!!) e o peixe para a família do noivo! E todos os convidados teriam 2 entradas e 2 pratos !

    Para facilitar (ou pelo menos eu achava que iria) contratei uma cerimonialista francesa que me fazia chorar de raiva… ela era grossa, baranga, mandona e cara! Me apresentou um decorador que me mostrou fotos de sofás de couro branco e luzinhas de Natal em um fundo de cortina branca (me sentia em uma festa a fantasia)!! A fornecedora dela de lembrancinhas me apresentava bolas e estrelas de acrílico com amêndoas dentro… o Florista estava me cobrando o olho da cara por meia dúzia de arranjos… A minha mae estava desesperada! Foi então que decidi procurar a Clarissa Rezende para me salvar!! A Clarissa eh prima da minha tia e eu sou apaixonada pelas coisas dela! Entao cancelei o florista que a Laura (cerimonialista) tinha me apresentado (dona Monica foi pra Franca tb!!) e nao peguei quase nada do decorador dela (so alguns moveis) … ela ganhava uma % dos fornecedores dela então estava uma fera comigo! O fotografo foi caríssimo – decidi pegar de la porque queria fazer umas fotos em Paris e achei que o fotografo de la conheceria melhor os locais, iluminação etc – e nao me arrependo, as minhas fotos de noiva em Paris sao de babar!

    Meu noivo foi trabalhar na Europa 3 semanas antes e o combinado era nos vermos somente no dia do casamento, então ele nao me ajdou em nada la….

    A semana do casamento foi maravilhosa, todos os amigos do coracao estavam la, alugamos apartamentos e reservamos os hoteis no Cartier Latin! O ponto negativo: eu organizei 80% das viagens, dando dicas de hotéis, reservando aptos, comprando passagens de trem etc…. Fomos para Londres passar o dia e fazer compras, bebíamos vinho na Fauchon, jantávamos em bistrozinhos charmosíssimos e caminhávamos a noite toda pelas ruas de Paris…. eu estava elétrica!! Tive que tomar um remédio pra dormir na noite anterior ao casamento porque eu nao queria perder nada!!!!

    No dia do casamento a Laura estava impossível, fazia tudo pra irritar! Ela ficava reclamando na frente dos convidados, estava mal vestida e parecia uma matrona descabelada! Se nao fosse a Clarissa eu teria matado ela!! Bom… a Clarissa disse pra minha mae mandar a Laura embora logo antes da cerimonia religiosa…. ela disse que cuidaria de tudo, e assim foi! A minha mae deu um beliscão na Laura (eu juro que nao acreditei!! Rsrs) e mandou ela embora!!! A cerimonia então correu super bem, um quarteto e uma cantora que cantou somente musicas francesas durante a cerimonia e o cocktail!

    No meio da festa o decorador teve um surto porque o castelo pediu para que ele tirasse o caminhão dele das premissas, então ele ligou dizendo que se nao pagássemos 500€ adicionais ele tiraria TODA a mobília do salao! – Gracas a Deus os meus queridos amigos que moraram comigo na Franca resolveram tudo pra mim e eu so fiquei sabendo disso 2 semanas depois do casamento, quando ja estava de volta ao Brasil!!!

    O casamento foi lindo, a decoração estava um sonho, as flores deslumbrantes e os petit fours deliciosos!!! Para as mulheres, a minha mae comprou lavandas na Provence, fizemos uma bandeja de perfiumes e creminhos franceses (Chanel, Sephora, etc), e para os homens uma caixa de charutos cubanos! A Clarissa montou uma mesa de chá linda e um cantinho de recados fofíssimo!! E pra terminar soltamos lanternas a noite…. foi um conto de fadas… e me divertiu mito fazer tudo isso, mas a realidade eh que passei muitas noites pesquisando coisas na internet e levei muita coisa do Brasil (florista, decoradora e outros vários artigos de decoração rsrsrs) e comprei muita coisa nos EUAs Londres, Italia etc…. nao eh fácil!! E mesmo sendo um casamento pequeno, o trabalho eh de uma festa para 500 pessoas… o meu conselho eh: levem o máximo de pessoas do Brasil… principalmente para ajudar na organização do dia, organizar prestadores de servicoes e gerenciar pagamentos, florista e decoradora… no meu caso eu indico, levem a Clarissa e a Monica!!!

  31. Fernanda 19 de julho de 2013

    Oi Constance
    Entendo perfeitamente o que vc passou. Fiz um destination Wedding em Buenos Aires e tive muita dificuldade em fazer tudo o que imaginei. As opções de moveis são limitadas (mas em maior quantidade que na Itália) e algumas das nossas “tradições” são difíceis de reproduzir fora daqui. E olha que eu escolhi casar no Faena justamente para ter uma acessoria de qualidade! A mesa de doces no formato que fazemos foi impossível de montar. Passei por chata e controladora! Mas foi tudo maravilhoso no final. Adoro seu blog! Parabéns pelo casamento!

  32. Patricia 19 de julho de 2013

    Oi, Constance!

    Estava ansiosa por esse seu post! Caso em setembro deste ano na Escócia, em um mini wedding para 40 pessoas – e não, não somos escoceses (apesar de o meu noivo ter um tio por lá).

    Se vc alguma vez se perguntou se os seus preparativos teriam sido diferentes se vc tivesse optado pelo interior da Inglaterra (achei demais que essa era uma possível opção!), acho que posso ajudar a matar a sua curiosidade…Hehe

    Um problema que eu fico aliviada de não ter enfrentado até agora é o da rudeza e inflexibilidade de fornecedores. Disso eu realmente não posso me queixar. Eu não tenho uma assessora, então pesquisei, quotei e contratei todos os fornecedores independentemente, mas tanto eles, quanto a moça de “eventos” do local que escolhemos (um castelo!), que meu deu várias dicas, sempre foram muito dóceis e muito abertos a ouvir nossas idéias e procurar um jeito de fazer acontecer do nosso jeito. Agora com a data se aproximando, muitos deles até me escrevem para saber se estou precisando de alguma coisa, se tem alguma idéia que eu queira discutir. Educação britânica, mesmo!

    O que eu acho que acontece aqui é que há muitos destination weedings de americanos e australianos (até pela facilidade do idioma), que pelo que sei têm um mercado de casamentos tão ou mais sofisticado do que o brasileiro. Acho que eles estão bem acostumados a realizar casamentos de pessoas de outras culturas e sabem que isso exige adaptações que eles têm de estar dispostos a fazer.

    Claro, porém, que nem tudo são flores… A flexibilidade tem um limite e tem coisas que ou vc simplesmente aceita que não vai ter no seu casamento ou vai se descabelar e gastar MUITO dinheiro. E este, na minha opinião, é o grande ponto do casamento no exterior: não dá para querer simplesmemte importar completamemte a idéia de um casamento brasileiro para outro país.

    Por exemplo: aqui o uso de flores na decoração é diferente, eles usam menos flores. Consegui definir com o florista um esquema bem “à brasileira” (que eu desconfio que ele achou uma verdadeira jungle); mas é impossível ter uma mesa de doces, ou sequer docinhos como estamos habituadas, porque não existe esse produto no mercado. Da mesma forma, embora tenha conseguido negociar que as bebidas (champagne e whisky) serão pagas por nós e oferecidas aos convidados (aqui o costume deles é, ao menos na pista, colocar um cash bar para os convidados, com milhões de opções de drinks – porém pagos), não deu para ter mais do que uma opção de prato com carne e um vegetariano.

    Se alguém me pedisse um conselho sobre fazer um casamento fora, eu diria que vc tem de estar preparada para fazer um casamento braso-gringo (haha): algumas coisas serão à brasileira e isso será lindo porque é da sua cultura; mas outras serão da cultura do lugar que vc escolheu. E isso pode ser chato em alguns pontos, mas pode ser incrível em outros e vc tem que procurar explorar os pontos fortes do país que escolheu )a Escócia, por exemplo, é famosa pelas ótimas bandas de pop rock e teremos uma banda incrível tocando na nossa festa, de uma qualidade que não acho que encontraria facilmente no Brasil).

    O grande dia é daqui a dois meses e depois eu posso contar o resultado final, que, espero, será lindo!
    🙂

  33. Monica 19 de julho de 2013

    Parabéns Constance mais uma vez pela sua sinceridade conosco!
    Admiro ainda mais seu trabalho depois desse post…realmente aqui no Brasil você teria tudo ao alcance e se fosse outra pessoa poderia se “aproveitar” da sua influência no meio e tirar vantagens em benefício próprio, mas optou por fazer sua vontade, sendo sincera e justa…muito raro hoje em dia!
    Obrigada por compartilhar conosco e nos ajudar!

  34. Cínthia Souto 19 de julho de 2013

    Gostei da sinceridade! bjs

  35. Cínthia Souto 19 de julho de 2013

    E parabéns pela nova vida!

  36. Andreza 19 de julho de 2013

    Nesse mundo em todos só querem saber de jabá, vc provou novamente sua sinceridade e honestidade com todos!! Te admiro cada dia mais e fico muito feliz por cada conquista sua!

    Sou sua fã desde sempre =)
    Espero que as fotos fiquem prontas logo… Tenho certeza que foi ainda mais lindo do que estamos pensando!

    Beijos

  37. Flávia 19 de julho de 2013

    Constance,

    acompanho seu site há tempos e hoje vou escrever pela primeira vez porque me identifiquei demais com o seu post e as histórias da Ana e da Renata!!!

    Casei em Madrid no dia 8 de junho deste ano (meu noivo é espanhol) e passei pelas mesmas experiências!!! Dificuldade para encontrar os fornecedores, quando encontrava era dificuldade de fazer eles entenderem como eu gostaria que fossem feitas as coisas….enfim, a todo momento me dava conta de que o que parece tão normal para nós, é uma verdadeira fantasia em outros paises!! As opções que me deram de bar foram as mesmas que as duas e acabei com o tal do bar de LED! E a pista de dança: passei 8 meses até encontrar alguém que colocasse o vivil com o nosso monograma e cheguei a receber orçamento de 7.500 euros pela pista!! E o que foi explicar a mesa de doces e dizer que colocaria quase mil doces ali….pensavam que eu estava maluca e que ninguém comeria os doces, já que tinha sobremesa no menu! Nem preciso dizer que não sobrou um docinho sequer para contar a estória…

    Levei muitas coisas do Brazil, itens de decoração, forminhas, e os bem-casados, inclusive! Minha mãe preparou um a um os sousplats estampados (eram mais de 200) e levei todos daqui! Não me arrependo de nada e teria levado fotógrafo e etc se tivesse lido seu post antes…rsrs

    O dia do casamento foi maravilhoso e, de fato, um dia mais do que especial para mim!!! O que eu acho que deve ser o mesmo independente de onde é o seu casamento. O que sem dúvida não é igual é a preparação…rsrs

    bjos

  38. celia 19 de julho de 2013

    constance, minha filha casou em abril de 2013, tivemos problemas apesar de planejar o casamento com bastante antecedencia. Seu saite nos deu referencias pra escolhermos muitos detalhes, fui uma seguidora assidua. Apesar de muito pesquisar e planejar alguns fornecedores nao tornaram real nossos sonhos e expectativas. Quando li seu post vi em voce uma pessoa muito humana por relatar seus problemas, e como imaginei voce nao poderia ser diferente de sua mae, que conheci pessoalmente, uma pessoa digna, com um trabalho perfeito e maravilhoso.
    bjus

  39. Samille 19 de julho de 2013

    Oi Constance! Estou adorando ler os posts sobre seu casamento. Estou sentindo MUITA humildade e sinceridade. Torci muito para tudo dar certo, foi muito lindo e inspirador. E nenhum trauma rs, tira o brilho, como disse. Obrigada por compartilhar. Desejo muita felicidade ao casal!
    Bjs,Samille

  40. Marcella 20 de julho de 2013

    Essa troca de informação é valiosíssima!!!!
    Obrigada por nos proporcionar isso !!!
    Por favor mostre o casamento que acontecera em breve em Noronha!!!
    Infelizmente o portugues de algumas leitoras precisa melhorar… uma pena !!!!

  41. Joana 20 de julho de 2013

    Concordo com a Marcella. Li muuitos comentários e achei bem interessante essa troca. Bacana que as leitoras se sentiram à vontade para também compartilhar suas experiências. Isso é resultado do tom intimista, expontâneo e sincero usado por Constance em seu post.

    E também fiquei curiosa para ver o casamento de Michelle em Noronha, assim como adoraria ver as fotos do casamento de Renata na França.

    Quanto ao post de Constance, propriamente, endosso tudo o que já foi dito. Ela é incrível e acompanhar o seu “diário de Noiva” tem sido um deleite de ideias e encantos.

    Parabéns!!!

  42. Christine Leandro 22 de julho de 2013

    Constance, estou quase chorando por saber que foi tão complicado seu casamento na Itália. Moro em Londres, mas penso em me casar na Toscana, como você. Acompanho seu blog há séculos, muito antes de conhecer um namorado. Pode?!
    Estou louca para ver as fotos e receber TODAS as dicas.
    Beijos e muita, muita felicidade no seu casamento.

  43. Renata 22 de julho de 2013

    Constance… só uma coisa a dizer. Você foi MUITO corajosa. ; )
    Parabéns. Beijos.

  44. Tel Monteiro 22 de julho de 2013

    Que post interessante e os relatos (seu e dos comentários) enriquecedores.

    Estou ansiosa pelos próximos posts do diário de noiva!

    bjs

  45. Mônica Sarcinelli Uba 22 de julho de 2013

    Oi Constance! Que fantástica esta sua “partilha” sincera de uma experiência real. Os Destination Weddings são realmente maravilhosos pela possibilidade de conviver dias com os amigos e a família mas os prós que você aponta são tb. muito verdadeiros. Eu sou sócia da assessoria brasileiríssima Four Reasons Eventos mas passo alguns meses do meu ano em Paris onde tb. tenho residência. Conheço bastante o mercado de casamentos europeus e tenho excelentes contatos especialmente na Inglaterra onde tb. morei. Se alguma noivinha sonhar em ter uma assessora brasileira na Europa eu estou a postos. A Inglaterra é tb. um dos meus sonhos (as you said, blame it on Jane Austen). Estudei em Oxford e fiz lá o casamento de uma noivinha encantadora e bem moderna. Eu acho que é um destino lindíssimo para quem sonha com um casamento fora do país. Tenho excelentes contatos com o Blenhein Palace (casa de Churchill) em Woodstock e sonho em fazer um casamento lá. Quem se habilita?

  46. Bianca Lemos 23 de julho de 2013

    Quando li que o post era sobre destination wedding jamais imaginei que o meu casamento era um desses. Comecei a ler, pq uma de minhas madrinhas enviou o link e disse que eu PRECISAVA dar uma olhada. Desde que comecei a organizar meu casamento pensava em algo diferente. Não vamos nos casar na igreja católica. Nossa cerimônia será ecumênica e no mesmo local da festa, até para facilitar os convidados que são todos de fora. Vou me casar no Guarujá, litoral de SP, e nossos convidados são TODOS do interior, Brasília e São Paulo. Tem gente tb de Cuiabá (MT) e Campo Grande (MS). Sim, acabei de entender que meu casamento é um destination wedding, muitas pessoas vão aproveitar a vinda para praia para curtir mais dias de férias e até esticar outra viagem.

    Guarujá também não evoluiu muito na modernidade e quase todos meus fornecedores são de São Paulo, São José dos Campos e Santos. Os vestidos das damas, da minha mãe e meu estão sendo feito por um estilista de São José do Rio Preto.

    Acho que o único fornecedor do Guarujá mesmo é a casa que alugamos. Uma casa linda, estilo Toscana, com um jardim maravilhoso onde faremos a cerimônia. Mas, nem tudo está sendo flores. Encasquetei que o pé direito da casa é baixo, que o local da pista de dança é ruim. Mas, chega um momento em que esses detalhes são esquecidos, uma vez que aperta no bolso.

    Nesse momento estou tensa, faltam 3 meses para o grande dia e é como se eu não fosse conseguir pagar tudo, contratar o que ainda falta. Mas, sei que depois virei aqui para dizer que mesmo com os probleminhas, deu tudo certo e foi um dia especial e inesquecível.

    Só depois do seu post pude entender que meu casamento se trata de um destination wedding, mesmo que dentro do Brasil mesmo, rsrs.

    Obrigada por expor suas experiências, pois me foram muito válidas. Quem sabe depois eu não envie as fotos desse grande dia para você dar uma olhada. O casamento está todo clássico, do vestido à décor. 😀

    Um beijo.
    Bianca.

  47. Sabrina 24 de julho de 2013

    Constance! Coisa mais linda ver alguém falar do casamento que realmente e independente de alguns prós e contras é sempre lindo e único!

    Me casei no começo do ano e sim, muito tempo de preparo e inúmeras coisas que queremos mas as vezes não sai como queríamos.

    Só quem organiza um casamento sabe das dores de cabeça rs… é bem complexo, família, parentes, amigos… fornecedores, custo etc e tal!

    Mas lindo mesmo é ver você contar que sim foi perfeito mas que não foi fácil e nem simples assim… no meu era num bosque e choveu… hahaha essas coisas é por que tinham que ser.

    cada escolha uma renúncia, não é mesmo?

    Parabéns por compartilhar e ajudar as futuras noivas! Bjo Grande

  48. Camilla 26 de julho de 2013

    Muito bom o seu relato! Obrigada!
    Também tenho dúvidas em relação aos convidados. Como você fez? Cada um pagou suas despesas (transporte, hospedagem…)?

    Obrigada

    Beijos

  49. Rita Queiroz 31 de julho de 2013

    Constance,
    Não sei se você se lembra de mim, mas escrevi um email já faz algum tempo desesperada por que ia me casar em Portugal, e como já tinha trabalhado com eventos no Brasil, estava mesmo a dar em doida aqui.Não tem NADAAAAAAAAAAAAA!!!!É realmente muito frustrante!!!Me casei em abril cá em Portugal, e claro que meu casamento em termos de fornecedores passou muito longe do que eu queria, mas acredito que consegui criar um ambiente parecido comigo e com meu noivo, apesar da falta de fornecedores e organização…O pior é, que como quase não existem empresas dedicadas, e dispostas a evoluir e encontrar uma solução, os cliente(noivos, etc.)não exigem deles…e assim vai…Para ter uma idéia trabalhei junto com a decoração até a manhã do casamento, se não teria sido um desastre…O projeto foi meu(mas, mesmo assim a execução não foi como eu desejava…), a assessoria foi minha, alguns doces foram meus, até as bandejas dos doces fui eu que desenhei e mandei fazer…enfim…tive que me virar em mil para ter um casamento parecido com o que eu queria…Abri uma empresa de assessoria de casamentos aqui, por perceber o quanto me fez falta…no dia contratei e treinei uma pessoa para trabalhar comigo e “comandar” o que fosse necessário(que hoje já está a trabalhar comigo na empresa!=D)Quando as fotos ficarem prontas eu envio para você ver, fiz o melhor que eu pude, e não consegui trazer nenhum fornecedor brasileiro, pois meu budget não permitia…Mas, acho que ficou bom…pelo menos eu e meu noivo estávamos tão felizes…que isso superou o resto!!!
    Beijos

  50. yana 6 de setembro de 2013

    Ei Constance! Conte-nos mais… Estou tão curiosa para saber mais detalhes do seu dia 🙂
    Beijo enorme

  51. Iara 16 de setembro de 2013

    Oi Constance e outras interessadas…
    Casei em agosto desse ano na Provence, França, e foi tudo perfeito…
    Não sei se pelos lugares q escolhemos, com fornecedores que nos deixaram muito tranquilos, ou se pq somos mais “zen”..
    Não vou escrever nenhum relato grande aqui, mas se tiverem interesse, vejam as fotos e podem me mandar por email alguma duvida, se puder ajudar…
    As fotos estão no
    http://marcelosch.com.br/blog/2013/09/10/casamento-na-franca-iara-gustavo/
    Bjs

  52. Neide 24 de setembro de 2013

    Constance,
    Estou vivendo exatamente o que voce falou!! Desespero! Tudo é complicado, nada pode ser customizado…. Ai Deus!! Mas o meu noivo é italiano, e nossa descisao foi pela mae dele que nao poderia viajar.
    Seu vestido, voce fez la? Com quem? Gostou?
    Agradeço muito se me der algumas dicas, estou querendo matar minha weeding plan :(!!

  53. Carolina serra 27 de março de 2014

    Olá!!!!

    Adorei seu post! Decidi a pouco tempo que quero muito casar na Toscana. Tenho familia em florença que poderiam me ajudar com alguma coisa… Mas fiquei com mais frio na barriga em relação ao que você comentou sobre os fornecedores!! Você indica alguma cerimonialista que seja daqui e que organiza casamentos na itália, ou alguma lá e que seja brasileira??
    Amanha vou fazer algumas ligações para alguns hotéis para ver se eles tem pacotes fechados… Tem alguma sugestão??
    Muito obrigada!!
    Bjs!!

  54. Catia Sintinella 17 de maio de 2014

    Olá, Constance
    Há tempos estou para comentar, gosto e admiro seu trabalho, parabéns.
    Moro na Cote d’Azur, e felizmente as coisas por aqui são bem diferentes, temos boa oferta de produtos e serviços para todo tipo de evento. Os profissionais são bastante flexíveis e bem humorados. Estou a disposição para todos que tiverem interesse e precisarem de uma “mãozinha”.
    Beijos pra voce e leitores.

    Catia.

  55. Anna Carolina Fernandes 17 de abril de 2015

    Quero deixar uma sugestão para Destination Wedding – as vinícolas do Chile! Com vôos diretos de várias cidades do Brasil e custos muito mais acessíveis que a maioria dos destinos internacionais, as vinícolas boutique do Chile propiciam ainda uma experiência enogastronômica deliciosa e lindos cenários para o seu álbum de fotos. E nós da Experience, brasileiras radicadas em Santiago, cuidados de todos os detalhes para que o seu tão esperado dia se transforme em dias maravilhosos na companhia dos amigos.

  56. Pâmela Lopes 23 de setembro de 2015

    Constance, finalmente encontrei alguém que está vivenciando o mesmo que eu!
    Pensei que fosse a única que tivesse esse sentimento a respeito do Destination Wedding. Vou me casar na Alemanha em 2016 (o noivo é alemão) e passo pelas mesmas frustrações… É tudo tão diferente e limitado…Vontade de desistir de tudo e trazer para o Brasil!!!! Como as noivas daqui tem sorte, aqui você pode tudo!!!

    • Constance Zahn 29 de setembro de 2015

      Oi, Pâmela!

      Realmente, as noivas aqui no Brasil tem muita sorte!! rs Acho que o segredo para se organizar um Destination Wedding com tranquilidade é ter consciência das limitações, mas tentar aproveitar ao máximo as coisas boas que pode proporcionar – como os cenários maravilhosos, uma gastronomia incrível, uma programação bacana com os convidados, etc…

      Bjs und viel Glück! 😉

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *