Babies & Kids Casa & Decor 15 anos
de 29/09 a 01/10 de 2017 Casa Petra São Paulo

Blog

Exibindo página 3 de 1245

Navegue como ou

12 dúvidas sobre o vinho ideal para o casamento

Qual vinho servir no casamento? Será que existe uma opção que agrada a todos? Posso montar um bar de vinhos ou a melhor opção é o serviço volante? Estas e outras questões comuns entre os noivos fazem parte do nosso tira-dúvidas com o time de sommeliers da Wine Eventos, departamento de festas do e-commerce Wine.com.br, empresa que expert em fornecer curadoria e vinhos em grande escala para casamentos. Vem ver o que eles nos contaram:

– Como se calcula a quantidade de vinho para o casamento?

A quantidade varia de acordo com a opção de bebidas disponíveis do anfitrião. Se vai ter só champagne é um cálculo, se vão ter outras bebidas alcoólicas, como cerveja, vodka, whisky, vinho tinto, a conta muda completamente. Esse número varia também de acordo com o número de convidados da festa. Aqui na Wine Eventos, o casal pode nos enviar um e-mail informando o cardápio e pratos que pretende servir. Nossa equipe de sommeliers irá indicar os melhores rótulos que harmonizam com o cardápio, assim como as quantidades ideais para não faltar nem sobrar.

– O horário e a estação do ano interfere no cálculo?

O horário do casamento nem tanto, mas a duração da festa sim. A estação do ano interfere muito no tipo de bebida que o anfitrião escolhe. Se é uma época mais fria, talvez a pessoa opte por não colocar vinhos brancos ou rosés, e sim, tintos. Então, como diminui a opções de bebidas, aumenta a quantidade de tintos. O que mais muda o cálculo é mesmo as outras bebidas que estarão disponíveis na festa.

– Quais as opções que trazem o melhor custo/benefício?

É difícil falar em valores, porque cada casal tem um budget disponível, e denominações de barato e caro serem relativas para cada um. Para nós, vinhos com bom custo x benefício são os que cabem no orçamento do evento, harmonizam bem com o cardápio proposto e trazem excelentes experiências aos organizadores e convidados. E isso nem sempre tem relação com valores.

– Qual a melhor forma de servir os vinhos no casamento?

Independente do estilo de serviço escolhido para a comida, o vinho sempre deve ir ao convidado e não o convidado ao vinho. O ideal é que o garçom possa ter uma bandeja com taças vazias (ou elas já devem estar à mesa) e a garrafa do vinho que irá servir na outra mão, pois é importante que o convidado saiba o que está bebendo e o vinho seja servido na frente dele. E, claro, nos bastidores da festa, os vinhos devem já estar cada qual resfriado à sua temperatura ideal antes do início do serviço.

– Qual a forma que menos gera desperdício no serviço?

Garantir que o vinho estará na temperatura de serviço ideal é um fator muito importante, pois fora da temperatura indicada, o vinho pode não expressar as características esperadas e causar certo incômodo no paladar. Outro detalhe importante é a quantidade de rótulos. É bom evitar uma diversidade muito grande de opções, pois dificulta a escolha do convidado e caso um determinado vinho agrade mais do que outro, pode haver sobras. Exemplo: Você pode escolher tipos de vinhos diferentes como brancos e tintos, mas não coloque mais de duas opções de rótulos para cada um.

– Uma boa pedida para harmonizar com carnes?

É bacana nessa harmonização levarmos em conta dois pontos principais: o peso/intensidade da carne e a forma de preparação, pois não podemos colocar numa mesma balança uma picanha e um lagarto, ou uma carne grelhada com uma ao molho poivre, por exemplo. Os vinhos tintos são os mais indicados nesse caso, mas o corpo do vinho deve seguir o peso da carne ou do molho que a acompanha. Os tintos mais encorpados para carnes mais gordurosas ou que levem molhos untuosos, e os de médio a leve corpo com as carnes mais leves, menos gordurosas ou que tenham molhos suaves.

Carnes mais encorpadas ou com molhos mais untuosos: La Chamiza Polo Amateur Malbec 2016 | Carnes menos gordurosas ou com molhos mais leves: Toro Loco Tempranillo 2015

– Para harmonizar com peixes?

Os peixes possuem diversas texturas e sabores, além dos tipos de preparações. Por isso, é importante ir além da harmonização clássica com vinhos brancos. Champagne, rosés e até mesmo tintos mais leves tanto de corpo quanto de taninos, que é aquela sensação de “amarrar a boca”, são muito bem-vindos.

Se o peixe tiver a carne muito delicada e sua preparação for grelhada ou com molhos leves, os brancos mais leves, frescos e frutados são uma boa pedida. Se a carne do peixe for mais gordurosa, com sabor um pouco mais intenso ou acompanhado de um molho mais estruturado, os rosés e os brancos amadeirados se encaixam bem. Em casos de peixes de carne escura ou de sabor mais forte e gordurosos, os tintos leves, como alguns da uva Pinot Noir harmonizam muito bem, pois a estrutura do peixe acompanha a do vinho.

– Para harmonizar com massas?

A regra de ouro aqui é: atente-se ao molho! Se a massa é um penne, espaguete ou talharim, não faz nenhuma diferença para a harmonização, mas se leva molho branco ou bolonhesa, tudo muda. O esquema aplicado nas carnes vermelhas também se aplica aqui, porém podemos ir além dos tintos e a harmonização com rosés ou brancos é mais fácil. Molhos leves acompanham vinhos mais leves e molhos encorpados, como o matriciana, que leva panceta ou bacon, ficam melhores com exemplares mais estruturados, de mais corpo.

Molho branco: Pancas Branco 2015 | Molho bolonhesa: Canepa Novísimo Cabernet Sauvignon 2016

– Que uvas ou vinhos são os mais democráticos, que agradam a maioria?

BRANCOS: leves, com boa acidez, toque frutado e cítrico são características que agradam. As uvas Chardonnay e Sauvignon Blanc são bem conhecidas no mundo do vinho e podem ser ótimos pontos de partida no momento da escolha.

Opção 1: Polo Amateur Chardonnay 2015 | Opção 2: Canepa Novísimo Sauvignon Blanc 2016

TINTOS: os elaborados com as uvas Cabernet Sauvignon, Malbec e Tempranillo, com um estilo frutado, macio, e corpo entre leve e médio, são verdadeiros coringas. Rótulos de países como Chile, Argentina e Portugal também agradam com facilidade. Mas vale lembrar que as uvas e os países são apenas alguns exemplos, o estilo do vinho é o mais relevante.

Opção 1: Toro Loco Tempranillo 2015 | Opção 2: Canepa Novísimo Cabernet Sauvignon 2016

– E os menos democráticos?

Vinhos complexos, muito amadeirados, com taninos ou acidez muito marcantes. Exemplares rústicos, maduros que possuem características de evolução, de safras muito antigas ou estilos muito específicos, devem ser evitados.

– Para um casamento no verão, quais os mais indicados?

No verão, quando pensamos em pratos, por exemplo, a tendência é preferirmos os mais leves. É com a ideia de rebater o calor e seus efeitos que escolhemos também vinhos leves, principalmente brancos, rosés e champagne, que, além da sua natural leveza, podemos resfriar muito para servir. Mas os tintos também têm seu lugar. A opção fica por conta dos tintos leves e frutados, com nível de acidez mais viva o que os tornam refrescantes, e possibilitam serrem servidos também resfriados. São a companhia ideal para pratos com carnes vermelhas, principalmente as mais tenras como um filet mignon, entradas como um steak tartare ou embutidos, e mesmo um salmão ou atum grelhados (no caso dos tintos com poucos taninos).

Vinho tinto: Redwood Creek Pinot Noir | Vinho rosé: JP Azeitão Seleção do Enólogo Rosé 2015

– E para um casamento no inverno?

O inverno abre espaço para os pratos e vinhos mais encorpados. Porém, vale lembrar que nem todo mundo se anima a degustar um tinto mais encorpado e rico em taninos. Mas de qualquer forma é uma boa hora para tintos de médio corpo, perfeitos para acompanhar alguns pratos mais robustos. Pratos com carnes vermelhas, massas com molhos à base de tomate e certas sopas vão muito bem com eles. Por outro lado, pratos como sopas em geral, massas com molhos brancos, e pratos com aves podem ser acompanhados por um branco mais encorpado, como um Chardonnay, ou outro que tenha passagem por barricas.

Vinho tinto: Pancas Tinto 2015 | Vinho branco: Polo Amateur Chardonnay 2015

. . . . . . . . 

Veja também: 10 dúvidas sobre a mesa de doces do casamento

E mais: Dúvidas sobre as comidinhas da madrugada

5 sapatos marrons para o noivo

No post para noivos de hoje, separamos boas opções de sapatos marrons para todos os estilos de casamentos. Aqui no site, o estilista Ricardo Almeida já deu dicas valiosas de como combinar a cor do terno com o sapato (veja mais neste link). Aproveite as dicas e escolha entre os modelos formais e informais que separamos!

1. Mocassim nobuk: Sapataria Cometa | 2. Oxford brogue: Principi Milano | 3. Mocassim de couro trançado: Salvatore Ferragamo | 4. Modelo de couro com detalhes de metal: Gucci | 5. Modelo derby: Ricardo Almeida

. . . . . 

Veja também: O sapato certo para casamentos no campo, praia e cidade

E mais: A cor de sapato que mais combina com o terno

Casamento na Casa Itaim: Teodora Barone + Dionisio Agourakis

Como Teodora BaroneDionisio Agourakis são descendentes de gregos, uma professora da faculdade sempre brincou que eles deveriam se conhecer. “Nos conhecemos na FGV e éramos do mesmo ano, mas de turmas diferentes. Durante o curso, fomos apenas colegas e nos falávamos corriqueiramente pelas redes sociais”, conta a noiva. Até que, dois anos depois da formatura, eles se reencontraram em uma situação improvável: na sala de embarque do aeroporto de Zurique“Ambos estávamos voltando de férias e, por coincidência, iríamos pegar o mesmo voo para o Brasil. Avistei o Dionisio esperando o embarque e, naquela hora, fiquei muito feliz em vê-lo. Ao nos cumprimentarmos, o abraço durou alguns segundos a mais e nós dois ficamos sem entender aquela situação. No mesmo mês, começamos a namorar“, relembra.

Com quase cinco anos de namoro, Dionisio fez o pedido de casamento, com direito ao anel de noivado dos sonhos de Teodora. “Durante um almoço na casa da minha mãe, ele me surpreendeu pedindo para um courier da Cartier me entregar o anel! A campainha tocou, fui até a porta e lá estava um rapaz com um uniforme oficial da marca fazendo uma ‘entrega especial’. Fiquei muito feliz!”, conta.

Os preparativos duraram apenas nove meses, e o casamento para 180 convidados aconteceu na Casa Itaim“Sou uma pessoa prática e queria que a cerimônia e a festa fossem no mesmo espaço. Escolhi a Casa Itaim pela área externa e a ótima localização, comenta. A decoração, assinada por Renata ChapChap, fugiu do tradicional“Eu queria um projeto moderno, que não tivesse tanta cara de casamento. A Renata trouxe a ideia de usarmos tons de vermelho e fendi, e meu marido e eu adoramos a ideia na hora! Meu único pedido específico era que houvesse muitos lustres de cristal!”.

Teodora imaginou um vestido de noiva rendado e clássico, mas que também fugisse do óbvio, e escolheu Lucas Anderi para a missão! “Queria que a renda fosse marcante, diferente e não tão delicada. Assim que conheci o Lucas, me apaixonei pelo tule bordado de fios de seda, que compôs todo o meu vestido!”, explica Teodora. A tiara de pérolas assinada por Miguel Alcade finalizou o coque baixo escolhido pela noiva.

O casamento de Teodora e Dionisio seguiu algumas tradições gregas, que estão no vídeo de Vicente Piserni:

A cerimônia aconteceu na área externa da Casa Itaim, e a decoração também teve bastante vermelho: desde as flores até o tapete e as almofadas das cadeiras. O destaque do espaço foi o pano de fundo do altar, um mix de galhos com flores vermelhas e luzinhas.

Como o pai de Teodora já faleceu, ela decidiu entrar sozinha na cerimônia“Para homenageá-lo, escolhi entrar com a música que ele e minha mãe consideram deles – Somewhere in time, conta.

Na festa, as flores vermelhas apareceram não apenas em arranjos de mesa, como também em árvores francesas. As projeções de folhagem reforçaram o verde do projeto, que também teve castiçais e lustres de cristal. As cascatas de luzinhas arremataram a decoração.

Como todo bom casamento grego, o de Teodora e Dionisio teve a tradicional quebra dos pratos.

Fotos: Flavia Vitória Photo (sociais) e Helson Gomes (decoração) | Vídeo: Vicente Piserni | Assessoria: Boutique de 3 | Espaço: Casa Itaim | Decoração: Renata ChapChap | Flores: Joel Matsuoka | Móveis: 100% Eventos e Crie Eventos | Buffet: Balsâmico | Bar: Help Bar | Bolo: Ana Abelha Doces | Doces: Carol Buarque Cake Boutique, Pati Piva e Petite Fleur | Vestido de noiva: Lucas Anderi | Sapatos: Christian Louboutin | Acessórios: Miguel Alcade | Cabelo: Fátima Fevereiro (Salão 1838) | Maquiagem: Lili Ferraz (Salão 1838) | Traje do noivo: Reinaldo Lourenço | Alianças: Cartier | Convite e papelaria: S-Cards