Na correria do dia-a-dia, ainda não consegui escolher as fotos do casamento para o álbum, aprovar a versão final do nosso vídeo e tampouco escrever (com a freqüência desejada) o meu “diário de noiva”…! O tempo passou rápido demais!! E não é que hoje completamos 1 ano de casados?! :o

Aproveitando essa data tão importante para nós, decidi que o tema do post de hoje seria algo sobre o que há tempos quero escrever: a participação do noivo durante os preparativos. 

É bem verdade que nós, mulheres, nos empolgamos bastante com os preparativos do casamento! Passamos meses pesquisando e sonhando com os mínimos detalhes, não é mesmo?! (#bridezillasunidasjamaisserãovencidas!rs) E tem muitas noivas que, ao lado de suas mães, tomam as rédeas de toda a organização da festa. Eu sempre pensei que comigo – pessoa decidida, que sabe do que gosta, com uma mãe ainda mais decidida e que sabe ainda mais do que gosta – seria assim: organizaria tudo com ela, sem nem consultar a opinião do noivo. 

Mas a verdade é que essa ideia foi por água abaixo assim que decidimos nos casar! Na hora H, me dei conta de que eu queria dividir esse momento com ele! Dividimos tudo na vida, somos tão companheiros em tudo, como poderia tomar decisões de uma maneira impositiva em relação a uma festa que era nossa?!

(Vejam bem, não estou julgando noivas que organizam o casamento com suas mães e deixam o noivo de lado – ou atribuem a eles poucas funções! Porque cada caso é um caso, tem noivos que preferem não se envolver, etc… só estou contando como foi comigo!)

A primeira decisão de todas – de nos casarmos na Itália – foi uma escolha nossa (bom, também só faltava não ser…rs) – e juntos “enfrentamos” a desaprovação inicial da minha família. Depois, a busca pelo lugar foi uma experiência maravilhosa a dois (até porque já foi praticamente uma pré-lua-de-mel pela Toscana!rs). Tínhamos reservado daqui uma villa na Toscana, mas, quando a visitamos, foi até engraçado, um olhou para a cara do outro com a certeza de que não seria ali. Visitamos inúmeros outros lugares e nenhum deles fazia o nosso coração bater mais forte… até que chegamos ao Castello di Celsa. Não sei bem como explicar, mas nós dois sentimos de imediato que tinha que ser lá! 

Nas reuniões com todos os fornecedores italianos também estivemos lado a lado tomando as decisões. Foi gostoso o pensar em conjunto nas surpresas, no menu, na música, nos programas dos dias anterior e seguinte… Ele não se interessava tanto quanto eu em relação aos pormenores (cor das flores, lembrancinhas, etc), mas fiz questão de mostrar as minhas escolhas antes de bater o martelo para me assegurar de que ele estava de acordo com tudo. E nos momentos mais difíceis da organização, em que já não tinha mais saúde para falar com a nossa assessora italiana, ele tomou a frente da comunicação. Não posso nem dizer o quanto sou agradecida por isso! Foi apenas fundamental para que eu chegasse inteira na Itália! rs

Como já contei antes, no dia do nosso casamento o tempo estava instável e choveu. Assistimos à movimentação dos fornecedores, à mudança dos planos (para executar o projeto B) e lamentamos. Mas de uma maneira curiosa, isso nos deixou ainda mais unidos e talvez tenha feito a gente aproveitar até mais a festa! Porque diante da “adversidade”, o supérfluo perde a importância! 

Dizem que a época dos preparativos, com todo o stress envolvido, emoções à flor da pele e alegrias, funciona como uma prévia da vida de casados, um “treino”. Se for assim, fico tranqüila! Nossos preparativos não foram fáceis, mas ter passado por tudo ao lado dele só fez reafirmar o meu amor e a minha admiração! Em todos os momentos ao longo dos meses que antecederam o casamento só tive mais e mais certeza de que tinha a pessoa certa ao meu lado! E foi muito bom ter planejado com ele uma festa tão linda para celebrar o nosso amor! I wouldn’t have it any other way! 

casamento-constance-zahn-castello-di-celsa-siena-italia-destination-wedding

Os primeiros passos de uma longa trajetória a dois! ♥

Foto: Kate Murphy