Fazer um teste de beleza para o casamento é fundamental para não se ter surpresas no grande dia! Quanto a isso acho que ninguém tem dúvidas.

Muitos profissionais só fazem o teste poucas semanas antes do casamento – o que é o ideal mesmo, para que a noiva tenha uma visão completa do look (vestido + beleza + acessório). Mas há também o caso de noivas que estão inseguras em relação à contratação do profissional e querem um teste bem antes, justamente para ver se gostam do trabalho dele.

Em ambos os casos, é importante a noiva ir preparada, para tirar o melhor proveito do teste de penteado e maquiagem. Por isso, seguem algumas dicas:

1) Leve referências “possíveis”

Não preciso dizer que beauty artist não é mágico, né?rs De nada adianta separar referências de beleza se as pessoas nas fotos não têm nada a ver com você. O que isso significa? Que a cor do cabelo, o volume do cabelo, a cor da pele, o formato dos olhos devem ser semelhantes aos seus. O mesmo coque em uma menina com mechas e em uma menina com cabelo todo castanho fica completamente diferente (inclusive, fiz um vídeo no nosso IGTV pra mostrar isso). Digamos que você tenha pouco cabelo e leve uma foto de um cabelão super volumoso, o penteado só vai se aproximar da referência se você investir em aplique(s), mas, às vezes, nem com aplique… Para a maquiagem, o formato do olho, na minha opinião, é o principal (falarei mais disso no próximo tópico)… de que adianta levar uma foto de uma menina com olhos super amendoados e pra cima se os seus são redondos e pra baixo? Não é que você não possa separar referências de modelos ou atrizes, mas tente achar aquelas que tenham um tipo físico mais próximo ao seu.

Sempre que ajudo uma amiga com essa questão e elas me mandam fotos de modelos/atrizes/afins que não têm nada a ver com elas, respondo pedindo fotos delas nos dias em que elas se acharam mais lindas. Muitas vezes, as melhores referências estão no seu rolo de câmera! ;) É muito mais garantido você mostrar uma foto sua para obter um bom resultado do que a de uma outra pessoa. Não significa que o beauty artist não possa melhorar o que já está bom (na foto), mas, pelo menos, tem um ponto de partida muito mais claro.

Outra saída é buscar famosas parecidas, quando possível, claro. Costumo perguntar “tem alguma famosa com quem as pessoas dizem que você se parece?“. Tenho uma amiga que é muito parecida com a Mandy Moore. Fizemos um verdadeiro “estudo de beleza” da atriz quando a minha amiga foi se casar! rs O bom das famosas é que elas costumam variar muito de cabelo e maquiagem, então tem bastante material pra gente analisar e comparar.

2) Conheça seu rosto – e o que o favorece

Já tinha comentado sobre a importância de conhecer o seu rosto no post sobre Os 5 erros de maquiagem mais comuns para noivas. Se você ainda não conhece seu rosto, a hora é agora! No processo de aperfeiçoamento da minha auto-maquiagem (que mostrei em stories do meu instagram @constancezahn, salvos em Destaques -> Meu Make – vale a pena ver, porque explico o porquê de cada passo), foi fundamental estudar o formato do meu olho! Só depois que entendi isso, é que realmente cheguei no que considero ser o melhor para o meu rosto – que é o que eu faço quando me maquio sozinha ou o que oriento quando sou maquiada por um profissional.

Como já comentei algumas vezes, o profissional não tem obrigação de saber e-xa-ta-men-te o que fica melhor em você e milímetros fazem toda a diferença! O ponto exato onde gosto que arqueie a minha sobrancelha com lápis, o ponto exato onde gosto que o delineador fique mais grossinho, o ponto exato da minha bochecha onde gosto que seja feito o contorno… são detalhes (importantíssimos!) que sempre vale a pena eu passar aos profissionais (até para os mais famosos) para que a maquiagem fique perfeita para mim. Por que insisto nesse ponto? Porque tenho visto amigas fazendo testes e se decepcionando… elas dizem “ah, não achei que fiquei tão bonita…!” Na maioria dos casos, não é falta de técnica do profissional, é apenas o fato de ser um “rosto novo”, com o qual ele ainda não criou intimidade para entender pre-ci-sa-men-te o que mais o favorece. E tudo pode ser dito com jeitinho… você não precisa ser uma tirana exigindo isso e aquilo.

Para quem ainda não conhece seu formato de olho, recomendo procurar por eye shapes” no Google Images. Tem várias características a serem consideradas. Aqui, peguei uma imagem que achei bem boa para ilustrar algumas delas (sempre acho foto melhor que desenho).

( Montagem do site Shilpa Ahuja )

No meu caso, por exemplo, meus olhos são mais para o round, downturned e deep set. Depois que entendi isso, assisti a vááários vídeos no Youtube com dicas de make para essas características. Foi transformador!

Isso quer dizer que se eu não souber me maquiar meu teste não será bom? Não é exatamente isso que estou dizendo. Maaas se você se conhecer bem, o teste tem chance de ser muito melhor…!

3) Explique como você gosta da maquiagem e do cabelo

Aqui, não estou me referindo às minúcias do tópico anterior. Me refiro a um briefing mais geral. Outro dia, uma amiga fez o teste de maquiagem e não ficou feliz com o resultado. Os olhos estavam lindos, mas achou que a pele tinha ficado pesada demais. Eu perguntei “mas por que você não falou para ele que não gostava de base pesada??” Eu conheço o profissional, sei que ele sabe fazer pele leve. Em outro caso, uma amiga achou que a pele ficou matte demais – mas não comentou que gostava de iluminador. Maquiador não tem bola de cristal, gente! Você precisa falar o que quer! Como gosta da pele, cores de sombra, cor de batom… existem mil possibilidades em termos de maquiagem, e se o profissional fizer X em você, não quer dizer que ele não saiba fazer W, Y, Z…! Mesmo se eu levar foto de referência, preciso especificar o que gosto e o que não gosto? Precisa!

O mesmo vale para o cabelo. Outra amiga ainda (esse post foi pensado por causa delas!rs) não gostou do babyliss porque as pontas não ficaram como ela gosta… ela só esqueceu de explicar como gostava das pontas. Ela estava com um super profissional, mas, sem briefing, ele não tinha como adivinhar. E se você não explicou antes, explique durante ou depois (ele pode retocar/refazer), mas não julgue o talento do profissional sem ter dito nada a ele.

4) Faça o teste durante o dia

Essa não é uma regra universal, mas tenho reparado que os testes à noite tem tido menos “sucesso”. Mas meu casamento vai ser à noite, por que fazer o teste à luz do dia? Porque às vezes o lugar onde o teste é feito não é tão bem iluminado e a noiva não consegue ver direito o resultado da maquiagem. Ou então ao vivo a maquiagem está linda, todos os presentes concordam, mas para fotografar a luz está ruim (seja porque a luz vem de cima, seja porque o ring light apaga o make, seja porque usou o flash do celular) e aí, em casa, analisando as fotos, a noiva passa a não gostar mais da maquiagem. No dia do casamento, o seu fotógrafo terá uma boa luz para te fotografar… é diferente.

5) Se você tem produtos queridinhos, leve-os

E por fim, não deixe de levar os produtos que você ama! Mas se o profissional é bom, ele tem que ter, oras! Não é bem assim... Eles tem um milhão de coisas, mas pode ser que não tenham bem aquele sem o qual você não vive! Acontece muito comigo. Gosto muito do tom do meu batom e quando o maquiador não tem (às vezes não tem), fica caçando similares, tenta misturar dois para chegar no tom (e, pra mim, nunca chega)… já que faço questão do meu batom, é muito mais fácil levar o meu. Cílios postiços também sempre levo, porque só uso os meus japoneses (já falei deles antes, recomendo fortemente!). Isso vale para um primer que você acha que deixa a sua pele incrível, um blush que você ama, etc. Você pode estar aberta a conhecer (e testar) novos produtos, claro. Mas, caso não goste, tem o seu queridinho na manga.

Fotos: reprodução

. . . . . . . . . .

Já segue a gente no InstagramPinterest e Facebook?