Já colocamos algumas dicas de trajes de noivos (white tiecor da gravata, flor da lapela, traje para casamento na praia) e pensei em dar agora algumas dicas mais gerais:

HARMONIA ENTRE O CASAL O traje do noivo deve estar em harmonia com o da noiva em termos de formalidade e estilo. Um vestido muito glamouroso pede traje mais formal do noivo, da mesma forma que uma noiva muito descontraída, pés descalços, ficaria estranho com fraque. “Harmonizar” entre si é o ponto de partida para as decisões.

CLÁSSICO, SEM ERRO Como em tudo na vida, o clássico é sempre chique e não tem erro. Para noivos mais formais, isso significa fraque e meio-fraque – ou smoking, caso o evento seja black-tie. Para noivos um pouco mais informais, um terno bem cortado. – > Evite túnica, trajes sociais em branco*, trajes “anfíbios” (que não são nem uma coisa nem outra, como misto de fraque com gravata borboleta, que não é nem fraque, nem smoking, e ainda marrom, para piorar… oi?!?), e cia.

(* branco em linho, algodão e afins para casamento na praia são outros quinhentos)

GRAVATA NORMAL – SEMPRE Dica de amiga: opte por gravata normal, sempre. Plastron (com a pérolinha) é démodé e denuncia o aluguel, por isso, substitua-o por gravata normal (prata, se preferir).

PITADA DE “OUSADIA” Quer “ousar”? Dependendo da circunstância, pode. E somente colete para um noivo ainda mais descontraído? Calça social + camisa + colete + gravata é como se fosse o terno completo menos o paletó, ou seja, tudo deve ser igualmente bem cortado. Em igreja, me parece muito inapropriado usar All Star, mas em casamento em local informal, pode. Uma flor na lapela diferente pode dar um toquinho de originalidade em um terno clássico. Óculos escuros e chapéus dão charme aos noivos mais estilosos. Enfim, “ousadia” com moderação pode ser bem-vinda.