Babies & Kids Casa & Decor 15 anos
de 29/09 a 01/10 de 2017 Casa Petra São Paulo

Blog

Exibindo página 1199 de 1296

Navegue como ou

Madrinha de clarinho

Resumindo a pergunta de uma leitora: “madrinha de clarinho, pode?” O casamento da atriz Juliana Paes, com a madrinha Deborah Secco usando vestido claro, deixou muitas pessoas confusas em relação a isso.
madrinha-casametno-vestido-claro.
Existe um consenso de que branco e off-white são proibidos para madrinhas – e quanto a isso acho que não há discussão. Mas em relação a cores claras não vejo nenhum problema.
Há dois argumentos mais comuns contra os tons claros:
1) “as pessoas vão confundir com a noiva”,
2) “ela queria competir com a noiva”.
E os meus contra-argumentos são os seguintes:
.
1) A noiva é inconfundível. A noiva não pode ser a moça ou senhora que está de vestido claro na lateral do altar, porque a noiva é aquela que está no centro do altar, ao lado do noivo, recebendo uma benção. Mais que um vestido branco, a noiva usa véu e arranjo de cabeça e carrega um bouquet. Ela entra com o pai e sai com o noivo… Se o convidado perdeu a cerimônia, também poderá reconhecer a noiva na festa. A noiva é aquela que vai abrir a pista de dança com uma primeira dança, é aquela que vai cumprimentar os convidados pela presença, afinal de contas foi o nome dela que veio no convite! E se houver algum convidado que mesmo na festa mostra-se incapaz de identificar a noiva é porque está de bico ou é um acompanhante para lá de desinteressado no momento – ou seja, em nenhum dos casos é uma pessoa importante para a noiva.
.
2) “Mas o que ela queria, competir com a noiva?”. Já falei uma vez e repito: não se enganem, uma cor vibrante ou escura (quer dizer, inconfundível com o branco) não garante que a madrinha não esteja competindo com a noiva! Sem citar nomes, já vi muita mãe, irmã, cunhada e amiga se esforçando para serem AS mais bonitas do altar. E querem saber? Às vezes, isto acontece… Se a Gisele Bündchen fosse madrinha de um casamento, muito provavelmente ela estaria mais bonita do que a noiva – não importa que cor ela usasse. Mas aí eu pergunto: e daí? Casamento agora virou concurso de beleza?? A moça lá em frente ao padre é noiva ou é candidata a miss?? Não vamos nos esquecer do propósito do casamento…! A noiva quer estar no seu dia mais lindo, claro, com razão! E por mais bonita que uma madrinha possa estar, ninguém tira o brilho da noiva! E não vejo como dizer isso sem parecer piegas: o importante é a celebração do amor!
..
Por isso, na minha opinião, madrinha pode ir de clarinho, de escurinho, de pretinho, de estampadinho… de qualquer coisa, contanto que não seja branco. O importante é que a noiva em questão esteja à vontade com a cor dos vestidos de suas madrinhas, porque é ela quem dá a palavra final sobre as cores dos vestidos do altar!

When high fashion meets art

Ela, uma stylist inglesa. Ele, um designer star australiano. Na propriedade da família da noiva, no interior da Inglaterra, Charlotte Stockdale e Marc Newson receberam importantes nomes da moda e da cultura em seu casamento chic, boêmio, low profile, poético e branché.

casamento charlotte stockdale wedding

casamento charlotte stockdale wedding

casamento charlotte stockdale wedding

casamento charlotte stockdale wedding

casamento charlotte stockdale wedding

 

São tantos os comentários que deixei para fazê-los depois das fotos, para não atrapalhar a experiência visual.

A primeira coisa que chama a atenção é a fotografia. Quando você chama um fotógrafo artista, você não tem um álbum de casamento, e sim uma série de arte. As imagens de Drew Jarrett são soft, como se a organza do vestido da noiva estivesse sobre a lente e tivesse filtrado a luz e as cores, dando esta qualidade romantic, dreamy and intimate.

O vestido é Alaïa. Um frente única de (muita) organza, assim como o véu. Alaïa está no time dos que fazem “high fashion“. Devaneios à parte (eu poderia ficar aqui hoooras falando sobre a moda dele), o interessante é ver um vestido que não é co-adjuvante. Ele não foi pensado simplesmente para deixar a noiva bonita, pelo menos não da maneira óbvia. Ele não está em função da noiva, ele tem seu papel independente, porque ele é arte em si. Carrega conceito.

Depois tem aqueles detalhes preciosos, como dad de cartola (só combina com Sirs), a noiva com uma tiara antiga (provavelmente jóia da família) saindo da igreja em um jeep, Lady Amanda Harlech com um coque improvisado (porque penteado de cabeleireiro seria simplesmente inadequado), o look de Stefano Pilatti e o tamanho perfeito do convite. Ou seja, tradição com descontração e high fashion sem pretensão.

Se eu tivesse que votar no it wedding do ano, this would definitely be it.

Fotos: Vogue Paris set/08 – aquela revista que está nas bancas, ao lado da Caras e da Quem.