Babies & Kids Casa & Decor 15 anos
Topo

Navegue como ou

O desequilíbrio intestinal e a cândida

case-saudavel-1

Closeup of young woman with hand on her stomach

Se você acompanha meus posts por aqui, já deve ter lido que nosso intestino é habitado por bilhões de espécies de bactérias – o que chamamos de microbiota intestinal ou flora intestinal. Quando estão em equilíbrio, essas bactérias deixam nosso sistema imunológico mais forte e nosso organismo mais equilibrado. Mas, quando não estão – fenômeno chamado de disbiose –, podem criar um ambiente muito mais propício a ações de patógenos, como a cândida. E na época pré-casamento, é natural que a nossa imunidade esteja mais baixa, por isso, é preciso tomar ainda mais cuidado com esse tipo de problema.

A cândida é um fungo normalmente encontrado na nossa flora intestinal. No entanto, quando nosso intestino está desequilibrado, ela pode se aproveitar da situação e se multiplicar, atingindo diversas partes do corpo, como a vagina, e causando sintomas como coceira intensa e vermelhidão na região. Essa não é a única causa da manifestação do fungo, mas é uma das mais frequentes em casos de candidíase recorrente. Fatores externos também podem contribuir para o aparecimento da inflamação, como uso de antibióticos, anticoncepcional e o consumo exagerado de doces e carboidratos simples.

Mas para tudo tem solução e, em conjunto com a medicação adequada, a alimentação pode ajudar a diminuir a incidência da cândida, evitando crises corriqueiras. Reuni algumas dicas para te ajudar nessa prevenção. Dá uma olhada!

– Tratar a disbiose ajuda bastante, daí a importância do uso de probióticos – bactérias boas do intestino –, que podem auxiliar no equilíbrio intestinal, diminuindo a incidência da cândida;

Diminuir significativamente o consumo de carboidratos simples, principalmente farinhas brancas e açúcares, pois a cândida se utiliza desses alimentos para sobreviver. Tente trocá-los por opções integrais de baixo índice glicêmico;

– Evite álcool e refrigerantes;

– Dê um tempo nos leites e derivados, substituindo-os por opções vegetais, como leite de amêndoas ou castanhas;

Troque o vinagre por limão para temperar sua salada e evite alimentos conservados em vinagre;

– Adicione uma colher de sopa de orégano ao azeite da sua casa e utilize-o normalmente. O tempero possui efeito antifúngico.

Embora a alimentação possa ajudar bastante nas crises recorrentes, muitas vezes a medicação é necessária, daí a importância de sempre consultar um médico e estar atenta aos sinais do corpo. Afinal, passar a lua de mel com candidíase não dá, né?

Até a próxima,

Karina

Drª Karina Al Assal é nutricionista graduada pelo Centro Universitário São Camilo, especialista em nutrição clínica pelo Hospital Sírio Libanês, especialista em nutrição clínica funcional pelo Instituto Valéria Paschoal e mestranda em nutrição e cirurgia metabólica do aparelho digestivo pela Faculdade de Medicina de São Paulo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *