Babies & Kids Casa & Decor 15 anos
de 29/09 a 01/10 de 2017 Casa Petra São Paulo

Navegue como ou

Bate-papo sobre vídeo de casamento com Cristiano Ferrari

Com uma linguagem moderna, Cristiano Ferrari FornecedoresCRISTIANO FERRARIFilmagemSão Paulo (Capital)Leia maisse destaca no mercado de casamentos com filmes que apresentam uma edição clean, sem exageros, e com alta tecnologia. Formado em Rádio e TV, Cristiano tem no currículo mais de 20 anos de trabalhos no cinema, documentários premiados, além dos casamentos. Para entender o que torna um vídeo de casamento único e pegar boas dicas para as noivas, o visitamos em sua produtora para um longo bate-papo. Dá uma olhada:

– Como tudo começou?

Me formei em Rádio e TV pela FAAP e comecei trabalhando com filmes publicitários voltados para televisão e cinema. No percurso, acabei fazendo o casamento de um fotógrafo que tinha um nome expressivo no mercado wedding e depois da irmã dele, o que me abriu muitas portas. Na época, pouco mais de 20 anos atrás, não havia muitos profissionais que ofereciam um vídeo com um olhar mais criativo e diferenciado. O que existia eram grandes empresas clássicas de vídeo e foto. Me lembro de ser um dos primeiros a fazer making of de casamento, e usar DVD no lugar de fita cassete.

E até hoje, muitos dos meus clientes são pessoas ligadas à comunicação. E não só pessoas famosas, mas sim que entendem do que estão contratando. Fiz o casamento do Roberto Justus, dos filhos dele, do Willem Van Weerelt, diretor do Programa do Jô, do Roberto Marinho Filho, dono da Rede Globo… Me sinto orgulho de ter este público como cliente, e ver que eles não só gostaram do meu trabalho, como também me contratam para filmar dos demais familiares.

– Quais serviços você oferece?

Ofereço vídeo em alta definição. E neste pacote “básico” entrego vídeo de Instagram (1 min), teaser (5 min), compacto de melhores momentos (15 min) e filme (1 hora). Além disso, duas versões da cerimônia: uma praticamente completa e respeitando todo o som ambiente, e outra no formato de videoclipe, resumida em 10 minutos e com trilha sonora. Nos orçamentos complementares estão: imagens áreas com drone; edição ao vivo para reproduzir no telão; ensaio dos noivos pré-wedding; animação ou cartoon que reproduz a história do casal desde do dia que se conheceram até o casamento; retrospectiva de fotos para passar no telão.

– Com que prazos você trabalha?

Para mim, arte está ligada a qualidade e na contramão de quantidade. Procuro fazer poucos eventos para ter bons resultados. Meus prazos são curtos. Entrego o teaser da internet em 3 dias e o filme completo em 70 dias. Após receber o material, o casal pode marcar um horário e editar junto as mudanças. E como tudo é feito dentro da minha produtora, o casal não corre o risco de ficar perdido ou sem assistência.

– Você investe muito em tecnologia, acredita ser um grande diferencial seu?

Uma coisa importante que a gente precisa entender é que hoje os equipamentos básicos ficaram muito baratos. Tem muita empresa nova entrando no mercado. Porém, nunca investi pensando em casamentos, e sim no mercado publicitário e de cinema, no qual ainda sou muito requisitado. As câmeras para este segmento são de outro patamar, o que me favorece nos casamentos, já que consigo trazer uma qualidade de cinema para o vídeo da cerimônia/festa. Hoje consigo, inclusive, fazer um álbum de fotos só com fotogramas do vídeo, tamanha a qualidade dos equipamentos que uso.

– E todo o equipamento usado em um casamento é seu?

Sim. Evito contratar profissionais com a própria câmera. É importante ter um ajuste perfeito entre os equipamentos que serão usados, principalmente em câmeras de vídeo e foto. A gente vê muitos vídeos de casamentos em que estes ajustes não foram feitos, então você tem alguns takes mais azulados, outros mais avermelhados. É claro que você consegue minimizar estas diferenças na edição, porém, quanto mais se mexe, com menos qualidade fica o resultado.

– Que cuidados você tem com o áudio?

Toda parte de captação de áudio faço como é feita no cinema. Levo gravadores digitais e coloco em pontos estratégicos. Não conto apenas com o microfone da câmera. E faço isso por dois motivos principais: há padres que não aceitam colocar microfone de lapela, e há lugares com acústica ruim. E pode ter certeza, sempre que você vê vídeos com excesso de trilha sonora é porque não há som ambiente de qualidade para ser usado.

– Como é formada a sua equipe?

Não terceirizo mão de obra. Os profissionais que compõem minha equipe estão comigo há 20 anos. Brinco que é como uma partida de futebol, não adianta contratar os melhores do mercado se não há um entrosamento. Faço no máximo dois eventos por dia, então tenho dois times. Cada um é formado por: câmera 1 (está acostumado a fazer imagens estáticas), câmera 2 (capta cenas com um pouco mais de movimento) e câmera 3 (este busca a arte. Ele tem liberdade de criação e não precisa se preocupar em documentar os momentos). Quando temos um evento ao vivo, não dá para todo mundo querer ser criativo, porque você corre o risco de perder cenas importantes. E pensando em casamentos, não dá para ficar viajando muito, cenas importantes como a saída dos noivos precisam ser perfeitamente registradas. Saindo do evento e indo para a edição, todos os vídeos são finalizados por mim.

– Até que ponto você acha que dá para explorar a criatividade em um filme de casamento?

Tudo é uma questão de sensibilidade e bom senso, porque a gente não pode esquecer que o foco principal é contar a história daquele casal, é emocionar. Por exemplo, saiu recentemente um equipamento que permite trabalhar imagens em câmera lenta perfeitas. É bonita a câmera lenta, você consegue registrar momentos delicados, porém, se você abusa do recurso o vídeo fica chato. Outra coisa é o exagero de equipamentos. Começou-se a instalar gruas no altar, entrar com drone para levar as alianças… Precisa tomar cuidado, a gente vê muitos vídeos onde a estrutura fica aparente e deixa o evento feio.

– O que você não recomenda durante a filmagem?

Imagens aéreas durante a cerimônia. Por mais legais que fiquem, eu desaconselho. Uma vez, durante um casamento em uma fazenda, a noiva não abriu mão do drone. Tentei de todas as formas fazê-la desistir, mas não consegui. Quando os pajens entraram, um deles se distraiu com o drone, tropeçou e foi de cara no chão. O que era para ser uma bela imagem acabou sendo um acidente. Outro inconveniente do drone durante a cerimônia é que ele faz barulho e desconcentra as pessoas.

– Que dica você dá em relação à escolha da trilha sonora?

Sempre recomendo fugir das músicas da moda, que marcam uma época. Elas tendem a perder o sentido com o passar dos anos. Por exemplo, até o ano passado só se pedia Coldplay, todos os vídeos eram com a mesma trilha. O que precisa, para mim, é ter a ver com a história do casal ou com o ambiente onde o casamento está acontecendo.

– 3 dicas para as noivas na hora de contratar o filme do casamento:

Conheça a fundo o trabalho e o material do profissional que você está contratando. Um vídeo bom de 10 minutos todo mundo consegue fazer, agora um filme de 1 hora bem feito, poucos fazem. Não contrate ninguém sem assistir aos matérias completos que ele produz.

Saiba quem são os profissionais que estão envolvidos na equipe da empresa que você contratou. Certifique-se de que são profissionais competentes, que não possuem desconforto com os demais profissionais que estarão trabalhando no seu casamento, bem como os os espaços escolhidos por você e seu noivo.

Entenda como será o seu casamento e se aquela empresa já fez algo minimamente parecido. Se o seu casamento será judaico, por exemplo, e a empresa nunca fez, pense duas vezes. É mais seguro quando o profissional já conhece os ritos das cerimônias religiosas e não corre o risco de perder nenhum momento importante.

(Vídeos: Cristiano FerrariFornecedoresCRISTIANO FERRARIFilmagemSão Paulo (Capital)Leia mais)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *