Babies & Kids Casa & Decor 15 anos
Topo

Navegue como ou

Bate-papo sobre joias de casamento com Flavia Vetorasso Siarra

Com 15 anos de mercado, Flavia Vetorasso Siarra se consagrou no mercado de joias longe dos holofotes. Entre suas clientes, Ivete Sangalo, Helena Bordon e Thassia Naves são as que circulam com frequência com suas criações. No mundo bridal, Flavia faz sucesso com seus solitários de diamantes e alianças de casamento. Para pegar boas dicas para as noivas e saber um pouco mais do seu trabalho, batemos um longo e divertido papo com Flavia. Vem ver:

– Como tudo começou?

Começou no curso de designer de interiores, quando eu tinha 19 anos. Sempre desenhei e fui fã de acessórios e adornos decorativos. Ainda durante a faculdade, fui trabalhar em uma joalheira, e senti muita falta de joias personalizadas, desenhadas especialmente para os clientes. Foi aí que comecei a desenhar peças exclusivas e que combinassem com o vestido e a ocasião de cada noiva e convidada. Dois anos depois, contratei um ourives para executar meus desenhos e não parei mais. Nem parece que já se passaram 15 anos.

– Uma de suas marcas registradas são as pedras preciosas poderosas. Sempre foi uma paixão ou é um pedido das clientes?

Sempre gostei. E quando surgia uma oportunidade, comprava sem nem saber o que eu ia fazer. Com elas em mãos, apresentava para as noivas e mães de noivas e desenhava em cima daquelas gemas.

– O que é importante saber antes de produzir uma peça exclusiva?

A primeira coisa que sempre busco é a personalidade da noiva. Não adianta querer fazer um brinco de cascata para uma menina doce e delicada. Nem sempre o mais imponente e caro é o que cai bem. A joia precisa compor a personalidade, o vestido, o rosto e o lóbulo da orelha. Colocar um brinco enorme em um lóbulo pequeno fica estranho. Dá a impressão de que aquela joia não é dela, que é alugada ou emprestada e adaptada para a ocasião.

 

– Quais outros serviços você oferece?

Ofereço upgrade das peças. Por exemplo, o noivo comprou um diamante de um quilate para o noivado, mas quer um de dois para o casamento e um de três ou quatro para as bodas. Cobro apenas a diferença baseado no valor atual de mercado. E, durante a escolha do modelo para o casamento, fico à disposição da noiva. Se ela quiser que eu vá na escolha do vestido para opinar sobre a joia, vou com prazer.

– Quais são seus best-sellers?

Diamantes! Eu, particularmente, sempre prefiro os diamantes. Acho chique, eterno e atemporal. E pensando em design, continuo nos clássicos. Adoro um solitário, ou mesmo um solitário com uma pérola. O brinco no modelo bouquet de navete é uma ótima escolha para as noivas que querem algo mais gordinho e volumoso na orelha. Ele não deixa de ser clássico e é uma opção para a noiva que já tem um solitário e quer investir em uma nova peça.

– Quais são seus modelos favoritos para casamento?

Para mim, o que mais combina com noivas são as peças mais clássicas. Escolher algo com um design muito moderno pode datar demais a peça e perder o sentido depois de alguns anos. E além do investimento financeiro, as joias do casamento são muito especiais e não merecem ficar guardadas. Sempre sugiro para as noivas escolherem modelos que elas possam usar depois, em outras ocasiões, que não só em festas. Os solitários e as pérolas, por exemplo, são ótimas opções para este momento. Dá para usar no dia a dia e ainda trazer sempre uma boa lembrança para ela.

– Em que ocasião você recomenda brincos longos?

Só mesmo se for o sonho da noiva. Normalmente o brinco longo rouba bastante a atenção do look e precisa tomar cuidado para não ficar over. A noiva precisa entender que a diferença dela para as convidadas é que ela está indo casar e as outras estão indo para uma festa. Com relação à praticidade, precisa tomar cuidado com o tecido do vestido, porque ele pode enganchar se for uma renda, por exemplo, ou mesmo prender no vestido da convidada nos cumprimentos.

– Pensando no vestido de noiva, quais são suas combinações favoritas?

Quando o vestido é mais romântico, com renda, pérolas bordadas…, gosto bastante do modelo navete, que segue a mesma linha. Já para os modelos mais fechados, com gola mais alta, tipo Grace Kelly, recomendo um solitário para não ter muita informação. Quanto mais bordados e informações, menos a joia pode ser trabalhada e grande. Já para um casamento na praia, gosto bastante da Turmalina Paraíba.

– Os brincos e colares precisam sempre combinar com os acessórios de cabeça?

Sendo o brinco mais neutro e clássico, não acho que a noiva precisa se preocupar em harmonizar um com o outro. Se você pensar nos solitários, eles vão bem com qualquer tipo de acessório.

– Tem alguma tendências que você gosta?

Deste ano não, mas uma que está há uns dois/três anos que gosto muito é a dos brincos ear cuff, aqueles que sobem pela orelha. A tendência surgiu muito pela questão do peso dos brincos, que acabam, ao longo dos anos, rasgando a orelha. Foi uma solução muito interessante, que para o mundo bridal se tornou uma boa escolha para as noivas mais modernas.

– Qual o momento ideal para escolher o brinco?

No momento da escolha do vestido. Quanto mais próximo o casamento fica, mais afazeres a noiva tem. Então, minha sugestão é que assim que ela escolher o vestido, escolha as joias para “se livrar” deste item do check-list.

– Com relação às alianças, quais suas preferidas?

Mais uma vez vou para os clássicos. Quanto mais tradicional e simples, menor as chances de enjoar. No começo, os noivos estão empolgados e acham tudo lindo, mas depois é comum eles se arrependerem e voltarem para trocar por uma opção mais básica. Fora que as noivas não podem ignorar o fato de que, na maioria dos casos, a aliança é a primeira joia do homem. Escolher uma peça grande e pesada vai ser um sofrimento para ele se acostumar, e muitos não se acostumam.

– Dá para inventar em alianças?

Dá, mas não recomendo. O que sempre falo para as noivas é: escolha a aliança mais simples para ter espaço para o marido completar o seu dedo nos anos seguintes. Se encher o dedo logo de cara, diminui as chances de vir um novo brilhante no ano seguinte. Rs!

– E para as mães de noiva(o), o que você acha interessante?

Como as mães já estão em outro patamar de vida e estão indo para uma festa celebrar a felicidade da(o) filha(o), para elas eu já gosto do pendurado e do “poderoso”. Adoro brincos de gota de esmeralda, rubi…

– 3 conselhos para as noivas na hora de escolher as joias do casamento:

  • Escolha sozinha! Joias são muito particulares e todo mundo adora e quer. Opinião demais só atrapalha.
  • Procure um profissional que entenda realmente de joias e do seu momento. Quem entende de joias é joalheiro.
  • As joias nos escolhem, então fique tranquila e segura, porque sua escolha está certa.

(Fotos: Divulgação)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *